Blog do Júlio Gomes

Arquivo : Roma

Após sorteio, City vira o maior favorito da Champions; Real cai para 5º
Comentários Comente

Julio Gomes


Após a realização do sorteio dos confrontos de oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, o Manchester City, de Pep Guardiola, transformou-se no principal favorito a ganhar o título continental. Pelo menos é o movimento que ocorreu nas casas de apostas pelo mundo.

O Real Madrid, atual bicampeão, era o maior favorito quando as apostas foram abertas, antes mesmo do início da Champions. E hoje, depois do sorteio que emparelhou o time de Zidane contra o PSG nas oitavas, passou a ser somente o quinto colocado na lista de favoritos ao título. É claro que, além do sorteio, os supercomputadores levam em conta os resultados inconsistentes do Real até agora na temporada – no Campeonato Espanhol, por exemplo, é só o quarto colocado.

O Manchester City foi o grande “sortudo” do dia ao ser emparelhado para enfrentar o Basel, da Suíça, nas oitavas. Líder disparado da Premier League inglesa e com apenas uma derrota na temporada, o time de Gabriel Jesus e Fernandinho é o maior favorito para passar às quartas de final.

Leia também no blog:
PSG x Real Madrid: será que o estagiário vai derrubar o chefe?

Logicamente, os resultados impressionantes até agora e essas probabilidades foram calculados pelos algoritmos das casas de apostas, diminuindo muito o valor pago para quem acreditar no título do City. Hoje, quem apostar (e acertar) no título do City tem um retorno de 4 para 1. Ou seja, para cada real (ou dólar ou euro ou a moeda que seja) apostado, o ganhador leva quatro de volta. Em nenhum momento da temporada o valor foi tão baixo para qualquer time na Champions. A lista completa está abaixo neste post*.

Quando o torneio começou, em setembro, o principal favorito era o Real Madrid. Na época, o retorno era de 5,50 para 1 em caso de título. Na sequência, vinham Barcelona (7 para 1), PSG (7 para 1) e Bayern (8 para 1). O City era apenas o quinto favorito, ao lado do Manchester United (13 para 1).

Antes do sorteio desta segunda-feira e após a realização da primeira fase, o PSG havia subido para o topo da lista de favoritos. Até ontem, o título do time de Neymar pagava 4,50 para 1. Na sequência, vinham City (5,50), Real (7), Barça (7) e Bayern (8).

Após o emparelhamento de oitavas de final, o retorno em caso de título do Manchester City caiu de 5,50 para 4 para 1. O Bayern de Munique, que enfrentará o Besiktas e já lidera a Bundesliga com folga, tornou-se o segundo favorito. O retorno caiu de 8 para 5,50 para 1 em caso de conquista alemã. Já o título do PSG subiu de cotação e passou a pagar 6 para 1, e o Real Madrid transformou-se apenas no quinto favorito a ficar com o título (9 para 1). Nunca, desde que as apostas foram abertas, se pagou tanto pela possibilidade de título do Real.

Como logicamente os retornos vão caindo de fase para fase, com o afunilamento do torneio, é plausível acreditar que este é o melhor momento possível para apostar em título do Real Madrid – caso o apostador ache que a terceira conquista seguida virá. Até porque conforme investidores observem aqui uma boa oportunidade e façam apostas, o valor de retorno vai caindo.

Por exemplo. Assim que saiu o sorteio, a vitória do Real Madrid sobre o PSG no jogo de ida, que será em Madri, pagava 2,25 para 1. Neste momento em que o post é publicado, esta cotação já havia caído para 2,10 para 1.

O título do Chelsea, emparelhado contra o Barcelona, pagaria para quem apostar hoje 34 para 1 (era 21 para 1 antes do sorteio). A maior zebra do torneio é o Basel, da Suíça – 401 para 1 em caso de título (boa sorte!).

Os jogos de IDA de oitavas de final:

13/2
Basel x Manchester City
Juventus x Tottenham

14/2
Real Madrid x PSG
Porto x Liverpool

20/2
Chelsea x Barcelona
Bayern de Munique x Besiktas

21/2
Sevilla x Manchester United
Shakhtar Donetsk x Roma

Retorno em caso de título da Champions (entre parênteses, a cotação antes do início do torneio):

Manchester City – 4 para 1 (13)
Bayern de Munique – 5,50 (8)
Paris Saint-Germain – 6 (7)
Barcelona – 8,50 (7)
Real Madrid – 9 (5,50)
Manchester United – 15 (12)
Liverpool – 15 (29)
Juventus – 17 (21)
Tottenham – 23 (34)
Chelsea – 34 (17)
Roma – 34 (101)
Sevilla – 101 (101)
Porto – 101 (126)
Shakhtar – 101 (251)
Besiktas – 201 (251)
Basel – 401 (501)

* fonte utilizada: Bet365

Para ver o movimento (idêntico) em outras casas de apostas, clique aqui.


PSG x Real Madrid: será que o estagiário vai derrubar o chefe?
Comentários Comente

Julio Gomes

Aconteceu o que todo mundo queria, menos os envolvidos. Paris Saint-Germain e Real Madrid vão se enfrentar logo nas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa.

O Paris ganhou seu grupo, que tinha o Bayern, para enfrentar o pior segundo colocado possível. O Bayern, curiosamente, enfrentará o melhor primeiro colocado possível: o Besiktas, da Turquia.

O Bayern e o Manchester City, que enfrentará o Basel, da Suíça, são os dois mega favoritos das oitavas de final, os grandes “sortudos” da manhã desta segunda-feira. Manchester United, contra o Sevilla, Liverpool, que pega o Porto, e Roma, contra o Shakhtar, são favoritos, mas em duelos perigosos.

E não é possível apontar favoritos em dois duelos bem equilibrados: Tottenham x Juventus e Barcelona x Chelsea. São jogões. E vamos lembrar, em fevereiro/março os times poderão estar diferentes do que estão hoje.

Mas nada chama tanta a atenção como PSG x Real Madrid.

É simbólico, porque temos o duelo entre o chefe e aspirante. O clube mais vezes campeão da Europa, o único bicampeão da era Champions, a camisa mais pesada do mundo, contra o clube multimilionário que quer entrar no clubinho de campeões.

Eu entendo que todo mundo esteja dizendo que o PSG deu muito azar no sorteio. E deu mesmo! Mas o Real Madrid também, viu. Este é um duelo 50-50 e, neste início de temporada, o PSG está mostrando mais futebol. Outra coisa é quando chegar a hora H.

É claro que o PSG não queria enfrentar o Real Madrid nas oitavas de final. Seria inevitável enfrentar uma pedreira em algum momento, mas muito melhor que fosse mais para o fim, que o PSG tivesse tempo para construir um momento e um time mais equilibrado defensivamente no terço final da temporada.

Por outro lado, e se o PSG ganhar do Real Madrid? Aí terá, bem cedo, mostrado para o mundo e para si mesmo que pode ganhar de qualquer um. Se vencer o Real nas oitavas, o PSG não terá nenhum obstáculo maior, pelo menos simbolicamente, pela frente.

Individualmente, é também o duelo entre Cristiano Ronaldo e Neymar. O melhor do mundo, dono da Bola de Ouro, contra o que quer ser um dia.

Leia também:
Após sorteio, City vira o maior favorito da Champions; Real cai para 5º

Estas são as oitavas da Champions:

Tottenham x Juventus
Manchester City x Basel
Liverpool x Porto
Manchester United x Sevilla
PSG x Real Madrid
Roma x Shakhtar Donetsk
Barcelona x Chelsea
Besiktas x Bayern

Meus palpites, HOJE. Passam Juventus, City, Liverpool, United, PSG, Roma, Chelsea e Bayern. Mas em fevereiro conversamos novamente :-)


Barça-Chelsea é o duelo mais provável das oitavas da Champions
Comentários Comente

Julio Gomes

Como esperado, a última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa teve pouca emoção e nenhuma surpresa (o legal foram os 33 gols, o maior número em um só dia de jogos desta edição). A única vaga em disputa em um confronto direto ficou decidida em 20 minutos, o tempo que o Liverpool precisou para destruir o Spartak Moscou com três gols. No fim, acabou 7 a 0, com três de Philippe Coutinho e um de Firmino – que saiu aplaudido de pé.

Aliás, não consigo entender bem as críticas às convocações de Firmino – jogador certo na Copa, podem se acostumar com a ideia. É um grande jogador de futebol, de primeiro nível. Mais fácil seria debater se ele ou Gabriel Jesus deveriam ser titular. Eu prefiro o jogador do City, mas o debate é válido.

As outras vagas, todas definidas em confrontos “indiretos”, acabaram sem surpresas. O Napoli está eliminado, já que o Shakhtar Donetsk fez sua parte e venceu o Manchester City por 2 a 1, acabando com os 100% do time de Guardiola na Champions e com a invencibilidade na temporada. Era esperado. O Napoli deu azar de pegar o City em um momento mais crucial da competição, enquanto o Shakhtar pegou um City já garantido em primeiro lugar.

Ao Napoli, cabe focar no que é a principal disputa para ele: o Italiano, que não vence desde os tempos de Maradona e tem chance real nesta temporada. Napoli, Atlético de Madri e Borussia Dortmund são os ausentes que poderiam estar no mata-mata. Nenhum “gigantão” ficou de fora.

O Tottenham fez a melhor campanha, com cinco vitórias e um empate (corrigindo informação anterior). Os dois times de Manchester, o PSG e o Bayern vieram atrás, com cinco vitórias e uma derrota. O PSG fez 25 gols, o Liverpool fez 23. O Barcelona sofreu só 1, O United levou 3. As oitavas terão um representante de França, Turquia, Suíça, Alemanha, Ucrânia e Portugal, dois da Itália, três da Espanha e cinco da Inglaterra (o que é um fato inédito).

Como o Chelsea é o único inglês que ficou em segundo lugar, o sorteio será muito condicionado por isso. O atual campeão da Premier não pode pegar nas oitavas nenhum time da Inglaterra e nem a Roma, que ganhou seu grupo. Assim, só sobram três confrontos possíveis: contra Barcelona, PSG ou Besiktas (será que o torcedor do Chelsea tem alguma preferência?).

Em média, a chance de um confronto específico sair no sorteio varia entre 14% e 18%. A chance de um Barcelona-Chelsea é de incríveis 43,75%. Segundo o estatístico espanhol Mister Chip (@2010MisterChip no Twitter), os confrontos com menor probabilidade de acontecerem são Bayern x Besiktas e PSG x Porto, na casa dos 10%.

A Juventus tem 75% de chances de ser sorteada contra um inglês nas oitavas, enquanto as chances de Real Madrid e Bayern pegarem um inglês está na casa dos 60%. Todos sonham com um confronto contra o Besiktas, o primeiro colocado menos badalado de todos. Os times que ganharam seus grupos adorariam enfrentar Basel, Shakhtar ou Porto.

Saiba quem pode enfrentar quem nas oitavas de final. Em itálico, os confrontos com mais de 18% de chances de acontecerem, ou seja, uma probabilidade consideravelmente maior que a média.

PRIMEIROS COLOCADOS:

Manchester United – pode pegar Real Madrid, Juventus, Sevilla, Shakhtar, Bayern ou Porto

PSG – Chelsea, Real Madrid, Juventus, Sevilla, Basel, Shakhtar ou Porto

Roma – Real Madrid, Sevilla, Basel, Shakhtar, Bayern ou Porto

Barcelona – Chelsea, Basel, Shakhtar, Bayern ou Porto

Liverpool – Real Madrid, Juventus, Shakhtar, Basel, Bayern ou Porto

Manchester City – Real Madrid, Juventus, Sevilla, Basel, Bayern ou Porto

Besiktas – Chelsea, Real Madrid, Juventus, Sevilla, Basel, Shakhtar ou Bayern

Tottenham – Juventus, Sevilla, Basel, Shakhtar, Bayern ou Porto

SEGUNDOS COLOCADOS:

Basel – Roma, Liverpool, Tottenham, Manchester City, Barcelona, PSG ou Besiktas

Bayern de Munique – Roma, Liverpool, Tottenham, Manchester United, Manchester City, Barcelona ou Besiktas

Chelsea – Barcelona, PSG ou Besiktas

Juventus – Liverpool, Tottenham, Manchester United, Manchester City, PSG ou Besiktas

Sevilla – Roma, Tottenham, Manchester United, Manchester City, PSG ou Besiktas

Shakhtar – Roma, Liverpool, Tottenham, Manchester United, Barcelona, PSG ou Besiktas

Porto – Roma, Liverpool, Tottenham, Manchester United, Manchester City, Barcelona ou PSG

Real Madrid – Roma, Liverpool, Manchester United, Manchester City, PSG ou Besiktas


Derrota do PSG não é nem trágica e nem insignificante
Comentários Comente

Julio Gomes

Depois de perder um jogo pelo Francês, no último fim de semana, o Paris Saint-Germain perdeu também a invencibilidade na Liga dos Campeões da Europa, ao cair por 3 a 1 em Munique, diante do Bayern.

A derrota está longe de ser trágica. A famosa frase “perdeu quando podia perder” se encaixa bem. Como havia vencido o jogo entre eles por 3 a 0, em Paris, o PSG ficou em primeiro lugar no grupo e tem mais chances de fugir de um duelo duro. O Bayern de Munique, como esperado, ficou em segundo. Esse sim, possivelmente pegará uma pedreira nas oitavas – ou um time inglês ou o Barcelona. Sorte seria pegar Roma ou Besiktas.

Se não é trágica e não mostra que o PSG “não é tudo isso” nem nada do tipo, tampouco podemos considerar o resultado insignificante. De alguma forma, traz o time de volta à Terra. Não chegará ao mata-mata com aura de invencível.

O Bayern, mesmo sem muitos jogadores que possivelmente serão titulares na hora H da temporada, criou sérios problemas ao PSG, principalmente no primeiro tempo. Sem Thiago Motta, Unai Emery, o técnico do Paris, está usando muitas vezes uma formação com Draxler no meio de campo. O time, claro, fica ainda mais ofensivo. Mas, talvez, vulnerável.

São testes válidos. Emery precisa entender o verdadeiro nível do time, as alternativas, e são raros os momentos de competitividade extrema para fazer essas observações.

Nesta primeira metade da temporada, os únicos jogos complicados para o PSG seriam contra o Bayern e contra o Monaco. Fora de casa, o time atropelou o Monaco e tem nove folgados pontos de vantagem na tabela do Francês – um campeonato que se mostra pouco competitivo. No primeiro jogo contra o Bayern, passou o carro, mas o time de Munique vivia crise que não vive mais desde a saída de Carlo Ancelotti. Agora, a história seria diferente. E foi.

“Ah, como perdeu do Bayern, o PSG foi colocado em seu devido lugar. Não tem camisa. Não é um dos favoritos ao título”. Alguns dirão algo assim. Não concordo. O PSG é, sim, muito forte. Muito mesmo. A meu ver, está na prateleira de cima entre os favoritos. Junto com um certo Bayern, que precisava de um resultado como esse para se colocar de novo entre as principais forças.

Quem quiser ver o copo meio vazio, dirá que o PSG é tão favorito quanto qualquer outro, e isso ficou provado hoje. Quem quiser ver o copo meio cheio, dirá que o time e Neymar precisavam de uma chacoalhada como essa para cair na real e amadurecer rumo à metade final da temporada.

Outros jogos

O resto da rodada não teve novidades. O Manchester United garantiu a primeira colocação do grupo A ao fazer 2 a 1 no CSKA Moscou, de virada. O Basel ficou em segundo, impondo a sexta derrota em seis jogos para o Benfica (uma vergonha, diga-se). Já era esperado, pelos duelos, que o time suíço passasse.

No grupo C, o Atlético de Madri chegou a estar à frente contra o Chelsea. Mas neste momento a Roma já vencia o Qarabag, resultado que se confirmou. O Chelsea ainda conseguiu o 1 a 1, mas foi um mau resultado para todos em Londres. Porque a Roma acabou sendo primeira de um grupo muito difícil, o Chelsea ficou em segundo e o Atlético foi eliminado.

Como não pode pegar um inglês nem a Roma, por ser do mesmo grupo, o Chelsea enfrentará nas oitavas de final Barcelona, PSG ou Besiktas. Alguma preferência? Será?

Já a Roma não enfrenta nem Chelsea nem Juventus. De muito forte, sobrariam o Real Madrid e o Bayern. Os outros possíveis duelos de oitavas são ganháveis para os romanos, que vivem uma temporada melhor do que o esperado.

No grupo D, o Barcelona, mesmo com time reserva, fez 2 a 0 no Sporting. E a Juventus fez sua parte, vencendo o Olympiacos por 2 a 0, na Grécia. A Juve sofreu nos dois jogos contra o Sporting, mas se livrou de uma eliminação precoce, engatou a terceira marcha na Itália e está se acertando na temporada.


Só em fevereiro saberemos qual é o nível real desse PSG
Comentários Comente

Julio Gomes

O Paris Saint-Germain e o Manchester City são as sensações deste primeiro terço de temporada europeia, sem dúvida alguma. Os dois “novos ricos”, que há anos estão na mesma frase, porque já triunfaram domesticamente, mas ainda não na Europa, estão atropelando a concorrência.

O passo adiante do Manchester City foi trazer Pep Guardiola. O primeiro ano foi mais ou menos, as contratações e dispensas do mercado foram certeiras e hoje o time parece imbatível. Cinco vitórias em cinco jogos na Liga dos Campeões, duas delas contra o Napoli, líder da Série A italiana e ótimo time de futebol. Na Inglaterra, a liga mais forte do mundo, incríveis 11 vitórias em 12 jogos e já oito pontos de vantagem para o segundo colocado.

O passo adiante do PSG foi trazer Neymar, na maior contratação da história. Se o time foi dominante na França desde a chegada de grandes jogadores, a temporada passada foi marcante por dois fracassos retumbantes. Perder a liga local para um Monaco cheio de moleques e ser eliminado pelo Barcelona levando 6 a 1, depois de ter vencido por 4 a 0 na ida.

O time já era obviamente muito bom. Com Neymar, no entanto, ele parece estar pronto para o objetivo principal, que é conquistar o continente.

Eu não tenho dúvidas de que o PSG é um dos candidatos e pode ganhar a Champions. Mas o fato é que só saberemos o nível real deste time em fevereiro do ano que vem, quando vier o mata-mata, a fase aguda da temporada. Melhor dizendo. O nível é obviamente alto. Mas ele não será colocado à prova até fevereiro.

Já dá para notar certa preguiça nos jogos aos sábados e domingos, em que falta competitividade. E no único jogo “tenso” da temporada, o clássico contra o Marselha, Neymar foi expulso de campo.

Por enquanto, o PSG tem enfrentado nenhuma concorrência na França. Zero. Já tem seis pontos de vantagem para o Monaco e o clássico entre eles, domingo que vem, dificilmente terá a mesma disputa da temporada passada. O Monaco já está eliminado da Champions e é lanterna do seu grupo com uma rodada de antecipação. Só está em segundo na França porque o campeonato é realmente muito fraco e desnivelado. O time do Principado caiu muito.

Na Champions, o PSG, assim como o City, ganhou cinco de cinco. Mas quatro desses jogos foram contra os fraquíssimos Celtic e Anderlecht e a vitória sobre o Bayern de Munique precisa ser relativizada, pois era um time rompido com o técnico – Carlo Ancelotti sairia dias depois da derrota.

O jogo de Munique, que fechará a fase de grupos, não significa muito. O Bayern só será primeiro colocado se vencer por quatro gols de diferença, o que todos sabem que não é realista.

Daqui até o mata-mata, em fevereiro, portanto, o PSG tem jogos em Monaco e em Munique que não têm o mesmo peso que poderiam ter.

O time de Neymar está voando, é verdade. Mas ainda tem muito o que mostrar. O Manchester City, por outro lado, passa mais confiança porque tem adversários muito mais fortes semanalmente.

O que já sabemos na Champions?

Barcelona, que hoje empatou com a Juventus, City, Tottenham e Besiktas garantiram a primeira colocação de seus grupos. O único segundo colocado já certo é o Real Madrid. Times já classificados, a falta de sabermos em que colocação: PSG, Bayern de Munique e Chelsea. Portanto, metade dos participantes das oitavas de final estão definidos.

Manchester United, Roma, Juventus e Sevilla têm suas situações muito encaminhadas. Só ficam de fora com uma tragédia. As quatro vagas reais em jogo estão entre Basel/CSKA, Liverpool/Spartak, Shakhtar/Napoli e Porto/Leipzig.

Vamos grupo a grupo:

A- United 12 pontos, Basel e CSKA com 9. O Manchester United recebe o CSKA na última rodada e precisa do empate para ser primeiro. Na verdade, pode até perder por três gols, que sabe mais, para ser primeiro. O Basel, que vai a Lisboa pegar o eliminado Benfica, pode ficar empatado com o CSKA, portanto é o favorito a ficar com a segunda vaga. Pode haver um tríplice empate na ponta, é por isso que o United não está garantido ainda. Mas, para que o time de Mourinho seja eliminado, precisará perder por sete gols de diferença.

B- PSG 15 pontos, Bayern 12. O Bayern só toma a primeira colocação se vencer o jogo entre eles, em Munique, por quatro ou mais gols de diferença.

C- Chelsea 10, Roma 8, Atlético de Madri 6. Jogam Chelsea-Atlético e Roma-Qarabag. Considerando que a Roma deve ganhar em casa o último jogo, a vaga está na mão. Se isso acontecer, o Chelsea terá de vencer o Atlético para ser primeiro do grupo. O Atlético só passa para as oitavas se vencer em Londres e a Roma não vencer seu jogo. Difícil. Depois de anos de alta competitividade e duas finais, o Atlético está virtualmente eliminado.

D- Barcelona 11, Juventus 8, Sporting 7. O Barça já é primeiro. O Sporting só toma a segunda posição se vencer em Barcelona na última rodada e a Juventus não vencer o Olympiacos, já eliminado, na Grécia.

E- Liverpool 9, Sevilla 8, Spartak Moscou 6. O Liverpool recebe o Spartak na última rodada e basta vencer para ser primeiro ou empatar para se classificar. Se perder, deve ser eliminado, pois dependeria de uma derrota do Sevilla para o fraco Maribor, na Eslovênia. O Sevilla será necessariamente o segundo se empatar, mas pode ser primeiro se vencer (e o Liverpool não). O Spartak se classifica se vencer por qualquer placar em Liverpool.

F- Man City 15, Shakhtar 9, Napoli 6. O City já é o primeiro. O Napoli só se classifica se vencer o eliminado Feyenoord, na Holanda, e o Shakhtar perder na Ucrânia para o time de Guardiola.

G- Besiktas 11, Porto 7, RB Leipzig 7. O Besiktas já é o primeiro. O Porto tem o desempate sobre o Leipzig, portanto basta vencer o eliminado Monaco, em Portugal, na última rodada. O Leipzig, que recebe o Besiktas, só vai às oitavas se fizer um resultado melhor que o do Porto.

H- Tottenham 13, Real Madrid 10. Tudo definido, as duas primeiras posições não estão mais em jogo.

 

 


Sábado perfeito para Barcelona, PSG e outros líderes das ligas europeias
Comentários Comente

Julio Gomes

A rodada da Liga dos Campeões da Europa, semana que vem, gerou um super sábado no retorno dos campeonatos europeus, com praticamente todas as grandes forças do continente em ação.

O dia começou com um dérbi londrino, teve um romano durante a tarde e acabou com um dérbi madrilenho. Nenhuma zebra apareceu, o que é raro após as paradas para jogos de seleções (que geram perda de ritmo, lesionados, etc). Manchester City, Barcelona, Bayern de Munique, PSG e Napoli tiveram vitórias importantes e estão mais do que consolidados na liderança das cinco principais ligas.

City e Barcelona ganharam 11 de 12 jogos, enquanto PSG e Napoli ganharam 11 de 13. Estão invictos.

Espanha

O Barça, sem muitos problemas, passou pelo fraco Leganés, com dois gols de Suárez, quebrando uma seca incômoda, e um de Paulinho, que havia entrado no segundo tempo. A impressão é que o titular da seleção faz gol em todos os jogos do Barça! Já são quatro na Liga.

O Barcelona é, na visão deste blog e de acordo com as previsões feitas antes do início da temporada, a grande surpresa. São 11 vitórias e 1 empate em 12 jogos, uma campanha impressionante que nem os melhores Barças de anos atrás conseguiram.

Com 34 pontos, o Barça tem como perseguidor mais próximo o surpreendente Valencia, que tem 27 pontos e pode chegar a 30 se vencer o Espanyol, neste domingo. No fim de semana que vem tem Valencia x Barcelona, e Piqué desfalcará o time catalão.

Real Madrid e Atlético de Madri fizeram um dérbi muito intenso, bem jogado, mas não saíram do 0 a 0 no lindo estádio Wanda Metropolitano, que recebeu o primeiro clássico da cidade. Os dois já estão dez pontos atrás do líder.

Desde a inauguração do estádio, o Atlético ganhou as duas primeiras e depois colecionou uma derrota e, agora, quatro empates seguidos. Os resultados na nova casa estão sendo tão ruins que o time já está virtualmente eliminado na Champions League e ficou para trás no Espanhol. Está invicto na Liga, mas são seis vitórias e sete (muitos) empates.

O Real Madrid, bicampeão europeu, é inegavelmente uma das decepções da temporada. O time não demonstra a mesma fome e muito menos a mesma bola, fala-se em uma crise de relacionamento entre Sergio Ramos e Cristiano Ronaldo e parece claro que o elenco está mais fraco – o que permite menos alternativas a Zidane.

O Real teve algumas chances contra o Atlético, até poderia ter vencido pelo segundo tempo que fez. Mas não foi um time com a urgência da vitória, como se esperava. Como tirar dez pontos de desvantagem para o Barcelona, em uma liga desequilibrada como a espanhola?

Itália

O Napoli parece decidido a ganhar seu primeiro título desde 1990, quando era o time de Maradona. No clássico que fechou o sábado, fez 2 a 0 em cima do Milan.

Ao contrário do Barcelona, do City, do PSG e do Bayern, no entanto, ainda não tem grande vantagem, pois a Série A está muito equilibrada. São 35 pontos, contra 31 da Juventus e 30 de Roma e Inter, todos estes com um jogo a menos. Juve e Inter entram em campo no domingo.

Já a Roma venceu bem o dérbi da capital contra a Lazio, 2 a 1. Fez um grande primeiro tempo, abriu 2 a 0 no segundo e depois sofreu, mas garantiu a vitória. A Roma, de técnico novo, é uma das surpresas da temporada, mantendo altíssimo nível dos tempos de Spalletti – hoje técnico da Inter.

Inglaterra

Na Premier League, o Manchester City deu mais uma demonstração de força ao fazer 2 a 0 no Leicester, fora de casa. O time voltou a jogar bem, dominar completamente as ações. O City é um “vendaval” para cima dos adversários. Ataca por todos os lados, de todos os jeitos, com muita gente chegando de trás e muita qualidade.

Guardiola gerou interrogações em algumas cabeças incrédulas depois de um primeiro ano meia boca no City e de três anos sem chegar à final europeia com o Bayern. Parece que muitas das dúvidas estarão dissipadas antes mesmo no Natal.

O City faz uma campanha histórica, com 11 vitórias em 12 jogos, 40 gols marcados. Um escândalo. São 8 pontos de vantagem para o United, 9 para o Chelsea, 11 para o Tottenham, 12 para Arsenal e Liverpool.

Na rodada inglesa, Manchester United, Chelsea e Liverpool ganharam bem, e o Arsenal fez uma grandíssima partida contra o rival Tottenham, vencendo por 2 a 0. O Tottenham, naturalmente, foi o grande derrotado do super sábado. É verdade que o primeiro gol do Arsenal saiu de uma jogada que deveria ter sido invalidada, mas tal foi o domínio que parece uma bobagem falar de arbitragem.

Gabriel Jesus fez o primeiro do City, Philippe Coutinho fez o terceiro dos 3 a 0 do Liverpool sobre o Southampton, e, no jogo do United, duas grandes notícias. Pogba voltou ao time e fez a jogada do empate, quando o time perdia para o Newcastle, e ainda marcou o terceiro gol, que praticamente matou o jogo – seria 4 a 1. A outra grande notícia foi a volta de Ibrahimovic, após mais de seis meses longe dos gramados.

Bundesliga e Ligue 1

Na Alemanha, o Bayern chegou à sétima vitória em oito jogos desde o retorno de Jupp Heynckes ao banco de reservas. O reencontro é sucesso absoluto, e o Bayern volta a ganhar corpo como uma das forças da Europa.

Com a derrota – mais uma – do Borussia Dortmund, sexta, e o empate do RB Leipzig em Leverkusen, neste sábado, o Bayern já abre seis pontos para o Leipzig na liderança. O caminho para o inédito hexacampeonato já está bem pavimentado.

Na França, Neymar fez um jogo sem muita graça. Ficou apagado na goleada de 4 a 1 do PSG sobre o Nantes, um adversário perigoso e bem treinador por Claudio Ranieri.

Cavani abriu o placar aos 37min, quando o PSG nada tinha feito em campo. Os outro gols saíram todas de lambanças bizarras do adversário, o que mostra o desnível entre a liga francesa e outras mais potentes. Com mais um tropeço do Monaco, na sexta-feira, agora a distância entre eles é de seis pontos.

No domingo que vem, haverá o aguardado duelo entre Monaco e PSG. Além de estar jogando mal, o Monaco enfrentará um time que ganhou 11 e empatou 2 até agora, campanha inferior somente à do City na Inglaterra.

 

 


Real nunca foi tão favorito, mas nunca teve tanta concorrência na Champions
Comentários Comente

Julio Gomes

O Real Madrid é o bicampeão da Liga dos Campeões da Europa. Tem o melhor jogador do mundo. Um técnico com time e diretoria nas mãos. Jogadores ótimos em todas as linhas. Banco de reservas jovem e fortíssimo. Tem camisa, tradição e o medo dos adversários.

Não há ninguém mais pronto que o Real na disputa da Champions League 2017/2018, que começa nesta terça-feira. E o reflexo disso é o favoritismo apontado pelas casas de apostas.

Durante os meses que antecederam a competição, um eventual título do Real Madrid tinha o mesmo retorno para os apostadores que uma eventual conquista do Barcelona ou do Bayern de Munique. E é assim há anos. Os três gigantes dominaram a competição, sempre entrando como favoritos, ao longo dos últimos dez anos. O Real foi campeão em 14, 16 e 17, o Barcelona em 09, 11 e 15, o Bayern em 13 (perdeu finais de 10 e 12).

As semifinais da última Champions foram as primeiras desde 2009 sem que pelo menos dois deles estivessem presentes.

Agora, as coisas mudaram. O Real Madrid se descolou dos dois concorrentes. É claro que o Barcelona, mesmo sem Neymar, mas ainda com Messi e Suárez, e o Bayern de Munique, de elenco milionário e técnico multicampeão, não podem ser descartados. Mas não estão na mesma prateleira que o Real Madrid.

Quem aparece como segundo favorito na competição é o Paris Saint-Germain, que ganha o status após as chegadas de Neymar e Mbappé. No final deste post, encontre o retorno das casas de apostas.

O PSG tem batido na trave desde que ganhou o aporte financeiro do Qatar. Precisa superar a barreira das quartas de final para, depois, pensar em título. No último mata-mata, todos se lembrarão, foi eliminado de forma surreal nas oitavas pelo Barcelona após fazer 4-0 na ida e levar 6-1 na volta. Agora, deu um murro na mesa. E acrescentou dois craques ao que já era um timaço. Qualquer coisa que não seja chegar à final será considerado um fracasso.

O PSG tenta se posicionar com o anti-Real. Mas não está sozinho.

Se, por um lado, o Real Madrid entra com um status de “maior favorito” que ninguém tinha desde o Barcelona dos anos de Guardiola, por outro vai ter de encarar uma competição incomum.

Devido ao título do Manchester United na última Europa League, a Inglaterra chega com cinco representantes. Que são, de fato, os cinco melhores times da Premier League, fortalecidos por altíssimos gastos em seguidas janelas de transferências e com técnicos badalados. Nada de Leicester e Arsenal, que todos sabiam que não chegariam a lugar algum.

O Chelsea, de Conte, o Manchester City, de Guardiola, o Manchester United, de Mourinho, e até mesmo o Liverpool, de Klopp, e o Tottenham, de Pocchetino, têm bola suficiente para eliminar qualquer time da Champions League quando chegar o mata-mata, no ano que vem. Os ingleses chegam com sede para recuperar o domínio da década passada.

E há uma leva de times que também são fortes o suficiente e com características interessantes para derrubar gigantes no mata-mata. O Atlético de Madri, de Simeone, foi finalista em 14 e 16, é um time ultracompetitivo e que já não surpreende mais. A Juventus chegou às finais de 15 e 17, perdeu Bonucci e Dani Alves, mas trouxe bons reforços e segurou Dybala.

O Napoli incomodou o Real Madrid na temporada passada e está roçando uma campanha mais longa. A Roma e o Sevilla podem encarar algum gigante em dois jogos. O Monaco, sensação da última Champions, perdeu muita gente, mas segue em alto nível. E não podemos descartar os alemães: o tradicionalíssimo Borussia Dortmund e o debutante RB Leipzig, que tem um ótimo time.

Não seria nenhum absurdo que qualquer um dos times citados acima neste post eliminasse o Real Madrid ou o PSG em algum momento. Pode até ser uma zebra, mas não um absurdo.

É uma Champions rara. Com um inegável favorito. Mas também recheada de times que podem derrotá-lo. Uma concorrência mais forte que a de outros anos.

Dessa turma toda, quem pode ficar pelo caminho já na fase de grupos?

Na próprio grupo do Real Madrid estão Borussia Dortmund e Tottenham, um deles vai sobrar. O grupo C reúne Chelsea, Atlético de Madri e Roma, que é favorita a ficar de fora. De resto, deverão estar todos no mata-mata, que promete ser o mais parelho e imprevisível da história. Por enquanto, ficamos com alguns jogaços e alguns joguinhos da fase de grupos.

Ranking de força do blog:

Prateleira 1:
Real Madrid – time pronto, bicampeão e com Cristiano Ronaldo

Prateleira 2:
Bayern de Munique – nunca é bom desprezar Ancelotti
Manchester United – nunca é bom desprezar Mourinho
Manchester City – nunca é bom desprezar Guardiola
Paris Saint-Germain – nenhum trio de ataque é mais poderoso. Tem fome

Prateleira 3:
Barcelona – Messi-Suárez podem desequilibrar, mas tem algo muito errado fora de campo
Atlético – parece em queda, mas tem coração, experiência, classe, técnico…
Juventus – forte, mas abaixo da temporada passada
Chelsea – a forma reativa de jogar pode machucar no mata-mata

Prateleira 4:
Tottenham – fez uma péssima Champions passada, mas o time está pronto
Liverpool – como será a reintegração de Coutinho após a crise?
Monaco – perdeu titulares, mas repôs bem (na medida do possível) e segue com talento e gols
Borussia Dortmund – foi primeiro no grupo do Real e chegou às quartas em 16/17
Napoli – tem um ataque muito rápido e está a ponto de beliscar algo maior se tiver sorte

Prateleira 5:
Leipzig – é vice alemão, segurou o time todo e pode incomodar
Sevilla – ainda não sabemos como será a vida pós-Sampaoli
Roma – ainda não sabemos como será a vida pós-Spalletti

Nas casas de apostas (retorno por valor apostado):
Real Madrid – entre 3,5 e 4
PSG – entre 6 e 7
Bayern – entre 7 e 8
Barcelona – entre 7 e 8
City – entre 10 e 12
United – entre 10 e 12
Juventus – entre 14 e 16
Chelsea – entre 14 e 18
Atlético – entre 18 e 22
Liverpool – entre 18 e 22


Real Madrid encabeça grupo da morte. Dos outros…
Comentários Comente

Julio Gomes

As bolinhas tiradas por Totti e Shevchenko, homenageados no sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões, foram desviando balas aqui e ali. Mas não teve como evitar a confecção de um grupo da morte.

E o grupo H, encabeçado pelo campeão Real Madrid, é o que será apelidado assim. O Real enfrenta novamente o Borussia Dortmund (que no ano passado relegou os espanhóis à segunda posição no grupo) e o Tottenham (que fez uma péssima Champions no ano passado, mas é um belíssimo time de futebol). Sorte que o quarto elemento é o fraco Apoel Nicosia, do Chipre, que vai apanhar de todo mundo.

São três times para duas vagas. Mas o Real Madrid está alguns vários degraus acima dos outros. É possível que seja o grupo da morte… para os outros. Tottenham e Dortmund que se virem pela segunda vaga.

Outro grupo forte é o que reúne Chelsea, Atlético de Madri, Roma e o estreante Qarabag, do Azerbaijão. O Atlético e o Chelsea são favoritos, a Roma ainda é uma incógnita na temporada. Trocou técnico e perdeu bons jogadores. Claro que pode deixar um dos favoritos a ver navios, mas, a priori, corre por fora.

À exceção do Tottenham e do Chelsea, o sorteio foi muito bom para os ingleses.

O Manchester United, de José Mourinho, vai enfrentar Benfica, Basel e CSKA Moscou. Um grupo tranquilo para o gigante inglês, que não vai precisar se matar e sacrificar jogos da Premier League para passar. Benfica é ligeiro favorito para a segunda vaga.

O Liverpool, que poderia ter caído em um verdadeiro grupo da morte (estava no terceiro pote das bolinhas), se safou e jogará contra Sevilla, Spartak Moscou e Maribor, da Eslovênia. O Liverpool mostrou muita força da fase prévia, passando por cima do bom Hoffenheim. Mesmo que perca Philippe Coutinho, é o favorito destacado. Até porque o Sevilla tem técnico novo, ainda derrapa e vai suar para ficar à frente do Spartak, campeão russo.

O Manchester City, depois de anos de “azareios”, finalmente teve um sorteio favorável. Jogará contra Napoli, Shakhtar Donetsk e Feyenoord, o campeão holandês. City é favoritaço para ser primeiro do grupo. E o Napoli, um ótimo time de futebol, que manteve a base do ano passado, é favoritaço para ser segundo. Tem mais chance de o Napoli atrapalhar o City do que ser atrapalhado pelos outros.

Dos três grupos restantes, um tem equilíbrio total. E os outros dois tem aquele formato com duas grandes forças e duas zebras. O que se decide é basicamente quem fica em primeiro, quem fica em segundo.

É assim no grupo B, em que Bayern de Munique e o Paris Saint-Germain, de Neymar, disputarão o primeiro lugar e não terão a passagem às oitavas ameaçada por Anderlecht ou Celtic. Os confrontos entre Bayern e PSG devem ser os que chamarão mais atenção durante a fase de grupos.

E é assim no grupo D, em que Juventus e Barcelona, que se enfrentaram nas últimas quartas de final, jogarão pelo primeiro lugar. Bom sorteio para o Barça, que derrapa neste início de temporada, mas não deve ser ameaçado por Olympiacos ou Sporting de Portugal. Não quero desprezar as duas camisas, com muita história, mas imaginem se caísse um Liverpool ou um Tottenham ou um Leipzig nesse grupo? O Barcelona pode respirar aliviado.

O grupo G é o mais equilibrado, com Monaco, Porto, Besiktas e RB Leipzig. O Monaco é favorito. É o campeão francês, atual semifinalista e, ainda que tenha perdido três titulares em relação à campanha passada, segue mostrando ótimo futebol. O Porto tem a camisa mais pesada, mas o Besiktas é um bom time, bicampeão turco, e o RB Leipzig tem um ótimo time. É vice-campeão alemão e manteve a base.

Abaixo, os grupos e os prognósticos de quem passa para as oitavas de final:

Grupo A
Benfica (POR)
Manchester United (ING)
Basel (SUI)
CSKA Moscou (RUS)

Prognóstico: 1- United, 2- Benfica, 3- Basel, 4- CSKA

Grupo B
Bayern de Munique (ALE)
Paris Saint-Germain (FRA)
Anderlecht (BEL)
Celtic (ESC)

Prognóstico: 1- PSG, 2-Bayern, 3- Anderlecht, 4- Celtic

Grupo C
Chelsea (ING)
Atlético de Madri (ESP)
Roma (ITA)
Qarabag (AZE)

Prognóstico: 1- Atlético, 2- Chelsea, 3- Roma, 4- Qarabag

Grupo D
Juventus (ITA)
Barcelona (ESP)
Olympiakos (GRE)
Sporting (POR)

Prognóstico: 1- Juventus, 2- Barcelona, 3- Olympiacos, 4- Sporting

Grupo E
Spartak Moscou (RUS)
Sevilla (ESP)
Liverpool (ING)
Maribor (SLO)

Prognóstico: 1- Liverpool, 2- Sevilla, 3- Spartak, 4- Maribor

Grupo F
Shakhtar Donetsk (UCR)
Manchester City (ING)
Napoli (ITA)
Feyenoord (HOL)

Prognóstico: 1- City, 2- Napoli, 3- Feyenoord, 4- Shakhtar

Grupo G
Monaco (FRA)
Porto (POR)
Besiktas (TUR)
RB Leipzig (ALE)

Prognóstico: 1- Monaco, 2- Leipzig, 3- Besiktas, 4- Porto

Grupo H
Real Madrid (ESP)
Borussia Dortmund (ALE)
Tottenham (ING)
Apoel Nicosia (CHP)

Prognóstico: 1- Real, 2- Tottenham, 3- Dortmund, 4- Apoel


Prévia do Italiano: Champions e motivação, obstáculos para o hepta da Juve
Comentários Comente

Julio Gomes

Até hoje, o recorde de títulos consecutivos nas ligas mais importantes da Europa é do Lyon, heptacampeão francês na “era Juninho Pernambucano”, entre outros grandes jogadores, é claro. A Juventus tenta repetir o feito da Itália a partir deste sábado, quando abre o campeonato contra o Cagliari.

A Juve sempre foi a principal força doméstica, mas nunca dominou tanto quanto agora. Formou um sistema defensivo tão sólido que, mesmo mudando todo mundo do meio para frente, chegou à segunda final de Champions League em três anos. E mantém Dybala, a joia da coroa.

Justamente a Champions é a conta pendente da Juve com seu torcedor. Nos últimos 20 anos, desde que a principal competição europeia foi ampliada, a Juventus é a única potência sem título (foram quatro derrotas em finais). Isso pode atrapalhar o foco na busca pelo hepta nacional? Não foi o que vimos nos últimos anos, mas é sempre difícil motivar jogadores a ganhar o que já ganharam tantas vezes.

Apesar das saídas de Daniel Alves e Bonucci, que não podem ser menosprezadas (pelo jogo e pela liderança de ambos no vestiário), a Juve se reforçou bem no mercado. Trouxe Matuidi, do PSG, Douglas Costa e Benatia, do Bayern, Di Sciglio, do Milan, e, a meu ver a principal contratação, o promissor Bernardeschi, da Fiorentina.

Existe um grande equilíbrio entre Roma, Napoli, Milan, Inter e até Lazio. São bons times de futebol. Mas é difícil imaginar que algum deles possa tirar o título da Juventus. Pode ganhar no confronto direto. Pode ameaçar em algum momento. Mas, no fim das contas, a disputa (boa) promete ser mesmo do segundo lugar para baixo.

Com a saída de Spalletti, a ROMA aposta em um ex-jogador e campeão com o clube em 2001, Eusebio di Francesco. O treinador levou o pequeno Sassuolo da segunda divisão à Liga Europa e adquiriu fama de propor um jogo ofensivo e desenvolver jogadores jovens. É bom lembrar também que agora a diretoria técnica da Roma está a cargo do espanhol Monchi, a grande mente por trás dos anos de sucesso do Sevilla.

A Roma fez caixa (100 milhões de euros) com três vendas importantes: Salah, para o Liverpool, Rudiger, para o Chelsea, e Paredes, para o Zenit. E fez contratações de baixo perfil, como os laterais Karsdorp (campeão holandês com o Feyenoord, 14 milhões), Bruno Peres (Torino, 12 mi) e Kolarov (Man City), os zagueiros Juan Jesus, Hector Moreno e Fazio, os centro-campistas Pellegrini e Gonalons e o extremo turco Under – este, o mais novo de todos, 20 anos, que veio do desconhecido time do Basaksehir, pode ser um dos típicos achados de Monchi.

Alisson será titular no gol da Roma, é muito importante observar o desempenho do goleiro, que tem tudo para ser titular da seleção na Copa.

O NAPOLI manteve a ótima base, com seu envolvente trio ofensivo formado por Mertens, Insigne e Callejón, e reforçou a defesa com o zagueiro sérvio Maksimovic (20 milhões de euros ao Torino) e o volante croata Rog, do Dinamo de Zagreb. A chave para o time de Maurizio Sarri é conseguir conciliar Série A e Champions League. Mas o Napoli e, sem dúvida, o postulante com menos interrogações para poder desafiar a Juve.

O MILAN, que saiu das mãos de Berlusconi para os chineses, foi quem mais fez barulho no mercado. Gastou muito e montou um time novo, mas não com medalhões. Começou bem nas fases prévias da Europa League e está animando o torcedor, sedento por voltar aos grandes palcos. Tudo vai depender da química que o treinador Vincenzo Montella conseguir criar.

Chegaram Bonucci (42 milhões de euros), uma garantia para a defesa; o jovem atacante André Silva (38 mi), de 21 anos, do Porto; a dupla que foi muito bem na Atalanta, o lateral Conti e o volante Kessié; da Alemanha, chegaram o bom meia turno Calhanoglu, do Bayer Leverkusen, e o lateral Rodríguez, do Wolfsburg; e vieram os argentinos Musacchio, do Villarreal, e Biglia, da Lazio.

Uma mistura de jovens com alguns veteranos. Outra grande notícias para os milanistas foi a permanência do goleiro Donnarumma, cortejado por outros gigantes europeus.

A INTERNAZIONALE, após o papelão da temporada passada e tantos técnicos demitidos, aposta as fichas em Luciano Spalletti, ex-técnico da Roma. Foi buscar na Fiorentina os meio-campistas Vecino e Borja Valero, na Sampdoria o zagueiro Skriniar e, no Nice, o desconhecido lateral-esquerdo brasileiro Dalbert, com passagens pelas bases de Flamengo e Fluminense. A Inter pagou 20 milhões de euros por ele, que fará companhia a Gabigol e Miranda.

Spalletti é um grande treinador de futebol. A Inter é um clube complicado, mas tem elenco para brigar no alto e não está em competições europeias, o que alivia o calendário.

Outras prévias no blog:

Real Madrid é favoritaço para o bicampeonato na Espanha

Em busca do hexa na Alemanha, Bayern não tem rivais à altura

Liga inglesa: a melhor virou também a mais imprevisível

França: Neymar e PSG fazem bi parecer sonho distante para o Monaco

Supercopa da Itália:

13/8/17 Lazio 3 x 2 Juventus

Maiores campeões italianos: Juventus (33), Milan (18), Internazionale (18)

Previsões:

Título: Juventus
Vice: Napoli
Vaga na Champions: Inter
Artilheiro: Higuaín
Melhor jogador: Dybala
Olho em: o Torino promete fazer um bom campeonato
Na TV: FOX e ESPN

Primeira rodada:

Sábado
13h Juventus x Cagliari
15h45 Verona x Napoli

Domingo
13h Atalanta x Roma
15h45 Bologna x Torino
15h45 Crotone x Milan
15h45 Internazionale x Fiorentina
15h45 Lazio x Spal
15h45 Sampdoria x Benevento
15h45 Sassuolo x Genoa
15h45 Udinese x Chievo


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>