Blog do Júlio Gomes

Arquivo : Atlético Mineiro

Votação anti-VAR vai assombrar o Brasileiro do início ao fim
Comentários Comente

Julio Gomes

Faz um pouquinho mais de dois meses. Foi no início de fevereiro que os 20 clubes da Série A decidiram não utilizar o recurso de vídeo para auxiliar as arbitragens no Brasileirão.

Bastou um sábado de futebol, menos da metade da primeira das 38 rodadas do campeonato, para que a decisão levasse um gigantesco tapa na cara. Erros de arbitragem acontecem toda hora. Interpretações diferentes sobre o mesmo lance, também. O pepino mesmo, e esse pepino é solucionado pelo VAR, são os lances claros, evidentes, não passíveis de discussão.

Como o pênalti dado para o Vitória contra o Flamengo, que resultou na expulsão injusta de Éverton Ribeiro, alterando toda a dinâmica do jogo. Ou como o segundo gol do Flamengo, em impedimento grosseiro.

Nem todo o jogo tem lances tão claros, tão evidentes, de erros de arbitragem. Aqueles sem nenhum “porém”. Aqueles que, com o VAR, não existirão mais.

O Flamengo foi um dos que votaram a favor do VAR me fevereiro. O Vitória, contra.

Na semana passada, tivemos a final do Paulista e toda a polêmica do pênalti dado e “des-dado” para o Palmeiras, com a forte suspeita do VAR clandestino mudando a decisão do árbitro. Uma das coisas que mais li, ainda que o campeonato fosse outro. “O Palmeiras votou pelo VAR, o Corinthians votou contra”. E daí?

Nas entrevistas pós-jogo no Barradão, o tema foi levantado. Nos programas de todos os canais de TV, idem. Mas e daí?

E daí que esta é a sombra que vai acompanhar o campeonato todo. Um verdadeiro fantasma.

Sempre que houver erro claro, a tal votação será lembrada. “Viram? O time X votou contra o VAR, agora aguenta”. Ou então. “O time Y votou a favor do VAR, viram por quê? É sempre roubado!”.

Preparem-se. Serão 38 rodadas e sete meses e meio de lembranças da maldita votação.

Não vou colocar a lista aqui de quem votou a favor, quem votou contra e quem se absteve. Sabem o motivo? Defendo que precisamos parar de olhar para o próprio umbigo. O futebol brasileiro precisa urgentemente passar a pensar no todo, não no pedaço.

Não interessa quem votou como. Foi uma decisão coletiva contra o VAR.

Uma decisão, é claro, induzida pela CBF. Que não larga o osso, não deixa a organização do campeonato para os clubes, mas não quer se responsabilizar pela arbitragem de vídeo. Jogou o preço lá em cima. sabendo que isso geraria o que gerou.

Mas clubes que foram contra porque o VAR da CBF só seria usado no segundo turno ou os que foram contra por causa do preço alto não poderiam ter se mexido? Os que votaram a favor do VAR não poderiam ter liderado esse movimento?

Será que era tão difícil assim os clubes chegarem a um acordo, encontrarem uma situação melhor de custo e emparedarem a CBF? Os clubes são parceiros da CBF em mais este erro histórico.

A votação será lembrada durante o ano todo. Uma pena. Uma enorme pena.

 


Demissão de Oswaldo não é surpresa. Difícil é entender o apoio recebido
Comentários Comente

Julio Gomes

Oswaldo de Oliveira começou o ano já com pinta de demitido. Estava na cara que seria o primeiro degolado entre os clubes grandes do país e não chegaria nem ao Brasileiro. Foi um tapa buraco no ano passado, o trabalho nem foi tão bom, confesso que não entendi por que a diretoria nova insistiu em seguir com ele para 2018. Os últimos trabalhos e mesmo o do ano passado no Galo não lhe credenciavam.

Com os primeiros resultados no Mineiro e a quase eliminação no Acre, estava na cara que Oswaldo cairia. Aí veio a reação destemperada com o repórter Leo Gomide, da rádio Inconfidência. E, dois dias depois, apesar das palavras bonitas do presidente Sette Câmara, a degola.

Segundo o Atlético, Oswaldo não foi demitido pela briga com o repórter. E, sim, por uma questão técnica. Até dá para acreditar. Quem sabe o ocorrido no Acre tenha sido só um pequeno catalisador.

O que falar da situação no Acre? Oswaldo errou desde o começo, mostrando agressividade desproporcional à suposta dureza do repórter ao fazer a pergunta. Não acompanho o dia a dia do Atlético para avaliar as perguntas feitas em coletivas anteriores. Há pessoas em quem confio muito que são apenas elogios a Leo Gomide e seu trabalho.

Ainda assim, com tudo isso, mesmo que perguntas incômodas tenham sido feitas no passado, mesmo com o stress do jogo (a quase eliminação), mesmo com as condições climáticas adversas no Acre, mesmo com o problema de saúde pelo qual Oswaldo havia superado dias antes, ele passou do ponto.

E, depois, quando parte para cima do repórter, ele faz mais do que passar do ponto. Ele faz o suficiente para ser, por exemplo, demitido por conduta imprópria.

Bem, é lógico que o xingamento ou não xingamento é decisivo aqui. Gomide disse que dizia “este é meu trabalho”. Oswaldo disse que ouviu “vá para o caralho”. Caralho, me perdoem o uso do termo, não costuma ser um palavrão usado para xingar alguém. De fato, as gravações mostram Gomide falando “muito obrigado” (ironicamente) e esbravejando “meu trabalho”. Os únicos palavrões gravados saíram da boca do técnico.

Dado que Oswaldo de Oliveira demonstrava todo destempero desde o início da pergunta do repórter, é plausível achar que ele precisava de pouco para explodir. Confundiu trabalho com caralho? Possível. Provável, até. Mas vamos pensar que não, que ele não confundiu nada e que o repórter soltou mesmo o palavrão.

O comunicado de Oswaldo, ontem, dizia. “Ouvi o maior desaforo de toda a minha carreira. Ouso afirmar que, PROPORCIONALMENTE, nem da arquibancada havia recebido tamanho insulto, mesmo levando em conta toda a passionalidade do torcedor pelo seu clube do coração”. Acharam exagerado? Sim, eu também.

Oswaldo estava P da vida. Perdeu a cabeça e os papéis, partiu para a agressão. O repórter fez o trabalho dele. Mandou mal, se soltou o tal palavrão. Mandou bem por não reagir à tentativa de briga do treinador. E o Atlético, que mandou pessimamente de ter proibido o profissional de entrar no clube, logo logo reverá a posição.

O que me chamou a atenção no caso Oswaldo é como muita gente nas redes sociais se manifestou contra o jornalista mesmo sem ter todos os elementos em mãos – afinal, nenhuma gravação pegou o suposto xingamento.

O benefício da dúvida foi dado ao técnico, não ao repórter.

E este é um movimento que vemos mundialmente – o mundo contra a imprensa. Mas que está particularmente forte aqui no Brasil no caso de jornalistas esportivos. Antes admirados, agora são atacados, xingados, assediados.

Eu sou um crítico costumaz da minha profissão, então me sinto tranquilo para falar do tema.

Primeiro, falar de “imprensa esportiva”, assim, de forma genérica, é complicado. São muitos os ramos, as funções, dentro da “entidade” imprensa esportiva. Existem narradores, apresentadores de programas, repórteres investigativos, repórteres de clubes, comentaristas que são ex-jogadores, comentaristas que não são ex-jogadores, editores de matérias de TV, editores em redações de jornal, editores em redações de internet.

Percebo que na tentativa de atacar a “imprensa esportiva” a maior parte das pessoas, para não dizer todas, não têm ideia de como funcionam as redações e as tomadas de decisões. Não sabem diferenciar, por exemplo, um profissional que informa de um profissional que opina.

“A ‘Fofox’ é uma porcaria!”, bradam! Não podemos mais deixar o Flavio Gomes entrar no clube! Só que o Flavio Gomes não entra em clube algum. “O repórter veste camisa por baixo!”. Qual repórter? Não sabem. Aliás, tampouco sabem que boa parte dos repórteres setoristas torcem pelos clubes que cobrem.

“Se é para falar mal do meu clube, prefiro que a gente fale entre nós”, disse um amigo, palmeirense, que arrematou. “Esses jornalistas tão se fud…, a internet tá aí para acabar com eles”.

Quais jornalistas? Juca Kfouri, os da Fofox, Chico Lang… Mas são esses caras que cobrem o noticiário do Palmeiras? Não, claro que não. Eles apenas opinam, analisam, estudam, investigam. Alguns mais, alguns menos, mas é gente que está no estúdio.

Uma pessoa escreveu no Twitter: “Após a reação do Oswaldo de Oliveira a pergunta do Leo Gomide uma coisa ficou bem clara: ninguém aguenta mais esse “jornalismo” parcial, clubista, tendencioso, que planta notícias falsas para os clubes ficarem desmentindo, etc. Se o futebol acabou, o jornalismo esportivo idem!”

O que têm a ver “jornalismo parcial e clubista” e “notícias falsas plantadas” com a pergunta de Leo Gomide?

Hoje em dia, se alguém colocar em dúvida os negócios de um clube ou criticar qualquer tipo de decisão, é visto como alguém que “planta crise”, que “quer desestabilizar” o clube. Se for o Mauro Beting falando do Palmeiras, tudo bem. Se for outro, não pode. É “inimigo”.

A “imprensa esportiva” não é isenta de falhas e críticas. De forma alguma.

Eu sempre disse e repito. Tem gente com microfone nas mãos sem qualquer senso de responsabilidade para com os sujeitos de suas “análises” e mesmo colegas de profissão.

Há repórteres que “trabalham” para cartolas? Que fazem serviço sujo? Sim, há. Mas é muito difícil identificá-los mesmo para quem está dentro dos clubes ou ombro a ombro nas coberturas. Identificar à distância, eu garanto, é impossível.

Os profissionais do esporte não gostam de repórteres que fazem perguntas duras, que supostamente estão lá tentando descobrir coisas que os clubes/profissionais não querem que sejam descobertas.

Muitos deles, por mais inteligentes, viajados e estudados que sejam, não entendem que o jornalismo não serve a ninguém deles. Nem a eles nem a clubes e nem a pátria. O jornalismo serve a quem quer ficar sabendo das coisas. Serve a quem lê, ouve, assiste.

O torcedor ou simpatizante do Galo, verdadeiramente preocupado com o clube, se tivesse um microfone em mãos, faria qual pergunta a Oswaldo? “Que porcaria está sendo feita para quase termos sido eliminados pelo Atlético Acreano?” ou… “Parabéns, professor, estamos juntos, como o senhor está fazendo para lidar com esse calor?”.

Se quem lê, ouve, assiste não quer que um jornalista “fale mal” ou “descubra coisas” do seu time, partido político preferido ou governo, ele que fique restrito aos canais oficiais de mídia destas entidades. Viverá em uma bolha? Sim. Mas se essas pessoas não querem jornalismo, que não consumam jornalismo.

Não somos nós que fazemos gols, perdemos gols, contratamos jogadores, dispensamos técnicos.

Consumir jornalismo para xingar? Para se irritar? Para agredir? Isso dificilmente entrará na minha cabeça. Se o espectador identificou um “picareta”, que não ouça mais, oras.

A ótima repórter Mayra Siqueira, da Rádio Globo, escreveu o seguinte. “Bom jornalismo incomoda, mau jornalismo também. Oswaldo perdeu a linha totalmente com o , um dentre os bons. Muito a ver com o que fazem irresponsáveis que se travestem de jornalistas e lançam suas pedras sem o menor cuidado, apuração e bom senso”.

O jornalista que serve a outros patrões não é jornalista que se deve respeitar. Mas esses caras são exceções. Devemos todos combatê-los e boicotá-los. Todos juntos.

O problema é que hoje em dia dirigentes, profissionais do esporte e torcedores estão combatendo não esses poucos picaretas. Mas toda a classe.

É por isso que a atitude de Oswaldo foi aplaudida por muitos. Eles se sentem vingados.

Nós não vamos revidar. Faremos como Leo Gomide e como Flavio Ortega, que levou uma voadora na cobertura da eleição do Corinthians.

Faremos nosso trabalho. Faremos nosso trabalho pensando em você, que torce por seu clube, mas não tem comprometimento algum com ladrões, incompetentes e violentos que ocupam as cadeiras ou dividem as arquibancadas contigo.

Sim, eu sou um corporativista. Sou e sempre defenderei todos os que são da corporação da honestidade, bons modos e da paz.

 

 


Será que Robinho saiu porque a sociedade melhorou tanto assim?
Comentários Comente

Julio Gomes

Robinho não fica no Brasil. Vai para o Sivasspor, da Turquia. Muitos dirão que é a prova de que a sociedade brasileira evoluiu. Não há espaço entre nós para um condenado por estupro na Itália.

Mas será que foi isso mesmo? Gostaria de compartilhar tal otimismo, mas em minha visão Robinho não ficou porque ninguém quis pagar o que era pedido. É o tema do vídeo abaixo:


Afinal, será que mudar de técnico é bom ou mau negócio?
Comentários Comente

Julio Gomes

O Campeonato Brasileiro chegou ao fim, e somente seis clubes acabaram a competição com o mesmo treinador do início. Corinthians, Grêmio, Cruzeiro, Botafogo, Fluminense e Avaí.

Os outros 14 clubes trocaram de treinador. Alguns deles, mais de uma vez. Foram, no total, 20 treinadores degolados por estes 14 clubes. Isso, sem contar os interinos que assumiram por algumas rodadas e não se firmaram. Ao longo da competição, 46 profissionais diferentes ocuparam o banco de reservas de algum time por pelo menos um jogo.

Atlético-MG, Atlético-PR, Bahia, Chapecoense e Vitória são os clubes que chegaram, entre contratados e interinos, a ter quatro técnicos diferentes em seus jogos ao longo do campeonato.

É nítido que a definição sobre contratar e demitir técnicos é feita com pouca razão e pouco conhecimento do assunto. Se formos escolher palavras para definir, de forma genérica, a atuação de dirigentes de futebol no país elas seriam amadorismo, paixão, inconsequência. Dificilmente escolheríamos profissionalismo, planejamento, responsabilidade financeira. Dirigentes, a maioria (não todos, mas a maioria) atuam como torcedores.

Mas o que esse campeonato mostra, dentro do equilíbrio incrível que marca o futebol brasileiro, é que não existe uma regra. Algumas vezes, mandar treinador embora simplesmente dá certo. Outras vezes, não.

É fato que é muito difícil um time ser campeão trocando de técnico ao longo do campeonato. Este é o oitavo seguido em que quem ganha o título mantém o mesmo treinador do início ao fim – a última exceção foi o Flamengo de 2009. Em 15 anos de pontos corridos, só três campeões mudaram de técnico ao longo do percurso, ou seja, 20% (os outros foram Santos-2004 e Corinthians-2005)

É fato também que quem ganha o campeonato costuma estar na liderança já em algum momento do primeiro turno, então nenhum dirigente é louco de demitir o técnico que está dando certo.

No caso de 2017, o Corinthians efetivou Fábio Carille e foi com ele até o fim. Outros dois clubes que não mandaram treinadores embora foram Grêmio e Cruzeiro. O primeiro, com Renato Gaúcho, mostrou bom futebol durante todo o ano, chegou à semifinal da Copa do Brasil e acabou ganhando a Libertadores. Já Mano Menezes só passou a ter vida tranquila no Cruzeiro depois do título da Copa do Brasil.

O Botafogo teve um grande ano com Jair Ventura, uma campanha heróica na Libertadores, foi à semi da Copa do Brasil e tinha tudo para acabar entre os cinco primeiros no Brasileiro. Mas despencou no último mês de jogos e acabou fora até da pré-Libertadores. Digamos que não deu tempo para demitirem Jair.

O Fluminense colocou nas mãos de Abel o projeto de lançar jovens. Não foi um bom campeonato, mas correu poucos riscos. Houve uma tragédia pessoal no meio do caminho que faria com que demitir o Abel se transformasse, também, em uma péssima ação de relações públicas.

E o Avaí, por fim, foi o único time “rebaixável” desde o início que apostou na estabilidade. Manteve Claudinei Oliveira do início ao final. Louvável. Mas não adiantou. E se o Avaí tivesse trocado de técnico? Teria se salvado? Teria caído algumas rodadas antes? Nunca saberemos.

Nós, que defendemos estabilidade e responsabilidade financeira, inclusive com regras mais rígidas para evitar a dança das cadeiras, estávamos torcendo pelo Avaí. Claro que seria o exemplo para provar o ponto. Não provou nada, admito.

De alguma forma, no entanto, a tristeza dos jogadores do Avaí, comprometidos com Claudinei, contrastou com uma aparente indiferença do Coritiba, o último rebaixado na última rodada.

Um Coritiba que no início do ano mandou embora Paulo César Carpegiani, que havia livrado o clube da queda no ano passado e foi demitido após a eliminação para o ASA na Copa do Brasil. O Coxa começou o Brasileiro com Pachequinho, trocou para Marcelo Oliveira e… não deu certo.

Como não deu certo para o Atlético-GO, que demitiu dois antes de efetivar João Paulo Sanches e ter aproveitamento melhor. Como não deu certo para o Flamengo, que com Zé Ricardo fez 29 pontos nos 19 jogos do turno (51% de aproveitamento). Sem ele, fez 24 pontos no returno (44% com Rueda). Como não deu certo para a Ponte Preta, que somou 28 pontos em 24 jogos com Gilson Kleina (39%) e apenas 11 em 13 jogos com Eduardo Baptista (28%).

Gilson Kleina e Zé Ricardo foram daquela para uma melhor, e acabaram levando Chapecoense e Vasco à classificação para a fase prévia da Libertadores.

Com Kleina, a Chape teve aproveitamento de 70% nas nove rodadas finais, não perdeu um jogo sequer e acabou como “campeã” do returno. Mas é bom lembrar que a Chape havia demitido no começo do campeonato Vágner Mancini, que depois ajudaria o Vitória a se salvar do rebaixamento.

O Vasco demitiu Milton Mendes com 25 pontos em 21 jogos, uma posição acima da zona de rebaixamento (39%). Com Zé Ricardo, teve 58% de aproveitamento e acabou em sétimo lugar.

Os casos de Chapecoense e Vasco são os casos claros de mudanças de técnico que deram certo. Isso ficou nítido também nos casos de São Paulo e Bahia.

Mas não está claro, por exemplo, se as mudanças realizadas em Palmeiras, Santos, Atlético-MG e Atlético-PR fizeram os times melhorarem ou não. Será que o Palmeiras de Cuca, o Santos de Dorival, o Galo de Roger e o Atlético-PR de Baptista teriam acabado melhor ou pior do que acabaram? Impossível dizer.

Mesmo o caso do Sport é de puro palpite. Depois de assumir no lugar de Luxemburgo, Daniel Paulista empatou um e perdeu quatro dos cinco primeiros jogos. Mas ganhou os três finais, tendo a sorte de pegar Fluminense e Corinthians desinteressados nas rodadas derradeiras. O aproveitamento com Luxa era de 38%, com Daniel Paulista foi a 41%. Será que Luxemburgo não teria salvado o Sport?

Está claro que a estabilidade no comando técnico é necessária para times que estejam buscando o título. Mas e para as vagas na Libertadores? E para a fuga de rebaixamento? Não está nada claro. Dá certo para alguns, errado para outros.

 


Brasileiro, ato 35: jogos cruciais ofuscados pela festa corintiana
Comentários Comente

Julio Gomes

O Corinthians tem, nesta quarta, o primeiro match point, para consumar o heptacampeonato nacional. Basta ganhar do Fluminense e será campeão com três rodadas de antecipação.

O jogo não é nenhuma barbada, até porque o Corinthians não ganhou fácil de ninguém ao longo do campeonato. O Fluminense, muito instável, é capaz de tudo e de nada e ainda não está totalmente livre da ameaça de rebaixamento. A festa que está sendo preparada em Itaquera ofusca jogos importantíssimos desta quarta-feira.

Ponte Preta e Avaí jogam a vida. Se não vencerem Atlético-PR e Cruzeiro, respectivamente, estarão virtualmente rebaixados para a segunda divisão.

O Grêmio mandará os titulares a campo para um teste final antes da Libertadores contra um São Paulo que ainda sonha estar na competição continental do ano que vem. Mesmo caso de Vasco e Atlético, que se enfrentam em São Januário.

Os olhos estarão voltados para Itaquera, mas muita coisa estará em jogo neste feriado em outros quatro campos do país.

Aqui vão informações, prognósticos e dicas de aposta dos jogos de quarta-feira:

17h Ponte Preta x Atlético-PR (Moisés Lucarelli)
Turno: 0-2 Ponte
Colocação: 18-Ponte (36), 12-CAP (45)
Prognóstico: 0-2 Atlético
Aposta: alguém passa em branco
A vitória sobre o Botafogo, fora, afastou de vez o Atlético-PR da luta contra o rebaixamento – e, como consequência, reacendeu esperança de Libertadores. A Ponte também saiu relativamente feliz da última rodada, pois perder para o Coritiba teria sido o caos. Mas o campeonato vai chegando ao fim e, se não vencer os últimos dois jogos que fizer em casa (este contra o Atlético e na penúltima rodada, contra o Vitória, a Ponte fatalmente cairá). O time só tem três gol marcados nos últimos seis jogos e ganhou duas de dez partidas com Eduardo Baptista. O técnico vai repetir o time, novamente sem Sheik e agora com Cajá no banco. Curiosamente, um duelo com pouquíssimos empates até hoje – só 2 nos últimos 23 confrontos. O jogo do primeiro turno marcou a única vitória da Ponte fora de Campinas neste campeonato.

19h30 Cruzeiro x Avaí (Mineirão)
Turno: Avaí 1-0
Colocação: 5-Cruzeiro (54), 19-Avaí (35)
Prognóstico: Cruzeiro 1-0
Aposta: alguém passa em branco
O Avaí enfrenta três dos cinco primeiros colocados nas últimas quatro rodadas e, apesar do belo esforço da diretoria e de ter mantido o técnico durante o campeonato todo, parece condenado. O time que menos fez gols no campeonato precisa vencer praticamente todos os jogos restantes para se salvar, começando pelo Cruzeiro, a quem venceu pela primeira vez na história no jogo do turno. O Cruzeiro, que vendeu Diogo Barbosa ao Palmeiras e tem quatro mudanças em relação ao time que venceu o Flu, é o líder do returno.

19h30 Grêmio x São Paulo (Arena)
Turno: 1-1
Colocação: 2-Grêmio (58), 11-SPFC (45)
Prognóstico: Grêmio 2-0
Aposta: coluna 1 paga bem
É o último jogo do Grêmio com o time titular, um teste final a uma semana da primeira partida decisiva da Libertadores, contra o Lanús. O São Paulo vai de Araruna na lateral e Maicosuel no meio – Cueva segue com o Peru e, sem o meia, o São Paulo só empatou os últimos dois jogos. Apesar da grande arrancada no segundo turno e sonhar com boa posição, para quem sabe beliscar uma Libertadores, o tricolor paulista segue sendo o segundo pior visitante do campeonato.

21h45 Vasco x Atlético-MG (São Januário)
Turno: 1-2 Vasco
Colocação: 8-Vasco (49), 10-CAM (46)
Prognóstico: 1-1
Aposta: melhor fugir
Historicamente, um duelo em que mandantes costumam vencer – mas não foi o que aconteceu no turno. Este é um jogo de prognóstico complicadíssimo, qualquer coisa pode acontecer. Os jogos do Vasco costumam ter poucos gols, mas o do Galo, pelo contrário. O Vasco não perde com Zé Ricardo (os dez jogos são a maior invencibilidade vigente no campeonato), mas vem empatando muito (quatro das últimas cinco). O time tem muitos desfalques, mas conta com os retornos de Breno e Wellington. O jovem Evander será titular. O Galo, ótimo visitante, tem os retornos de Leonardo Silva, Marcos Rocha, Adilson e Fred – Luan é desfalque.

21h45 Corinthians x Fluminense (Itaquera)
Turno: 0-1 Corinthians
Colocação: 1-SCCP (68), 14-Flu (43)
Prognóstico: 0-0
Aposta: menos de 2,5 gols
É o jogo do título e a torcida prepara uma grande festa em Itaquera. Só falta combinar com o Fluminense, que ainda precisa de alguns pontinhos para se livrar do rebaixamento – depois deste jogo, o Flu recebe os ameaçados Ponte e Sport em casa, ou seja, situação está sob controle, mas não pode bobear, pois serão duelos diretos. O time de Abelão não terá Marlon e Renato Chaves, mas voltam Sornoza e Henrique Dourado. O Corinthians não terá Cássio e Balbuena, que serão substituídos por Caíque e Pedro Henrique. Jô volta ao time – ele tem um gol a menos que Henrique Dourado na briga pela artilharia do campeonato (16 a 17).


Brasileiro, ato 34: mini Rio-SP mostrará caminhos para a Libertadores
Comentários Comente

Julio Gomes

Com a disputa pelo título encerrada – basta saber quando o Corinthians será campeão matematicamente -, as cinco rodadas finais do Brasileiro terão jogos valendo Libertadores e fuga do rebaixamento. E dois clássicos entre cariocas e paulistas dirão muito sobre o futuro dos clubes envolvidos na competição.

No domingo, o Palmeiras recebe o Flamengo no Allianz Parque e, se não se recuperar após as derrotas para Corinthians e Vitória, estará colocando a posição no G4 em risco. Se vencer, o Flamengo ficará a um ponto do Palmeiras. E o Botafogo, que neste sábado abre a rodada contra o Atlético-PR, é outro que pode se aproximar ainda mais.

Jogarão também Vasco e São Paulo no Maracanã, dois dos quatro melhores times do returno – o melhor, por enquanto, é o Botafogo. Vasco e São Paulo não olham para o G4, mas olham para uma vaga na pré-Libertadores. É bom lembrar que o G6 vai virar G7 se o Cruzeiro estiver entre os seis primeiros, e pode virar G8 se o Grêmio for campeão da Libertadores ou até G9, se o Flamengo vencer a Sul-Americana e estiver entre os primeiros do Brasileiro.

Como há essa indefinição, e ela vai perdurar até as duas rodadas finais do campeonato, é importante estar bem posicionado. O Vasco, que só perdeu 1 de 11 jogos com Zé Ricardo, estará consolidado entre os oito primeiros se vencer o São Paulo. Já o time paulista, que perdeu a chance de ganhar a quarta seguida ao tropeçar na Chape, no Pacaembu, já se afastou do rebaixamento e precisa ganhar no Maracanã para sair da “zona morta” da tabela e entrar na briga pela Libertadores. O jogo é um divisor de águas nesse sentido.

Outro confronto direto de Libertadores reúne Bahia e Atlético-MG. Na parte de baixo da tabela, o duelo que mais chama a atenção reúne Coritiba e Ponte Preta. É um confronto direto e, se o Coxa vencer, fica muito tranquilo na luta contra o rebaixamento, afundando a Ponte de vez.

Aqui vão os prognósticos da rodada.

SÁBADO

17h Botafogo x Atlético-PR (Engenhão)
Turno: 0-0
Prognóstico: Fogo 1-0
Aposta: menos de 2,5 gols
O Botafogo é líder do returno porque começou ganhando cinco de seis jogos. Desde setembro, não encaixa duas vitórias seguidas e precisa quebrar essa escrita para buscar o Palmeiras e entrar no G4. O Atlético-PR não faz gol há três jogos e não terá Gedoz nem Nikão, mas Guilherme volta ao time. Parece que vai acabar o campeonato na zona morta, mas se continuar perdendo muito o Z4 pode virar um fantasma, pois ainda jogará fora de casa contra Ponte e Avaí.

19h Corinthians x Avaí (Itaquera)
Turno: 0-0
Prognóstico: 0-0
Aposta: menos de 2,5 gols
Sem Cássio e com a lesão de Walter, o Corinthians terá no gol o jovem Caíque, terceiro goleiro. Jô, suspenso, também está fora. Basicamente, portanto, o Corinthians não terá seus dois jogadores mais importantes no campeonato e enfrenta um adversário para quem um pontinho será um espetáculo. Jogo deve ser amarrado e duro de ver em Itaquera.

DOMINGO

17h Vasco x São Paulo (Arena da Baixada)
Turno: SPFC 1-0
Prognóstico: 1-2
Aposta: melhor fugir!
São dois dos times mais consistentes do returno. Um dia, chegaram a estar ameaçados de rebaixamento, principalmente o São Paulo, mas este é um pesadelo distante e agora a hora é de pensar em Libertadores. Com Zé Ricardo, o Vasco só perdeu um jogo e nunca tomou mais de um gol na mesma partida. A questão é: como estarão as arquibancadas de São Januário? Torcedores unidos para apoiar o time ou um clima de guerra pela divisão política do clube? O Vasco não vence o São Paulo em casa desde maio de 2005. Desde então, foram 20 jogos entre eles, com 12 vitórias são-paulinas e 2 vascaínas (mas ambas como visitante). Jogo de difícil prognóstico.

17h Palmeiras x Flamengo (Allianz Parque)
Turno: 2-2
Prognóstico: 2-2
Aposta: ambos marcam
Quem olhasse a tabela antes do início do campeonato poderia usar uma caneta marca-texto e marcar este clássico na 34a rodada como um possível jogo de implicações de título. Ledo engano. Os dois elencos milionários do futebol brasileiro não fizeram um campeonato nem perto de suas possibilidades e agora jogam por uma vaga no G4 – e olhe lá, porque do jeito que vão as coisas ficarão abraçados com vagas de pré-Libertadores. Desde 2010, o Flamengo só venceu 1 de 12 jogos contra o Palmeiras, que leva vantagem no retrospecto histórico. Ainda sem Borja e Mina, o Palmeiras deve ter William de volta ao ataque, enquanto o Flamengo terá a defesa reforçada por Juan. Paquetá, que jogou muito bem pelo meio contra o Cruzeiro, segue no time substituindo Diego.

17h Grêmio x Vitória (Alfredo Jaconi, Caxias do Sul)
Turno: 1-3 Grêmio
Prognóstico: Grêmio 2-1
Aposta: coluna 1
Depois de seis jogos sem vencer, o Vitória finalmente ganhou uma – e em casa. O que já foi suficiente para sair da zona de rebaixamento. O jogo será em Caxias do Sul porque a Arena Grêmio irá receber um show, o que deixou Renato Gaúcho indignado. Com as duas últimas vitórias, o Grêmio está mais do que consolidado no G4, uma garantia, pois nunca se sabe o que acontecerá na final da Libertadores. Se ganhar mais essa (Grohe, Cortez e Edilson são os desfalques, do meio para frente joga todo mundo), o Grêmio pode usar reservas a vida toda no Brasileiro, com a certeza de que estará na fase de grupos da próxima Libertadores. O Vitória ganhou em Porto Alegre ano passado, o que não acontecia desde 2005.

17h Atlético-GO x Sport (Olímpico)
Turno: Sport 4-0
Prognóstico: 1-2
Aposta: coluna 2, com empate anula aposta
Pior time do returno, com apenas uma vitória, o Sport tanto fez que entrou na zona de rebaixamento e em um momento para lá de crítico do campeonato. Agora, contra o lanterna Atlético-GO, mesmo jogando fora e sem Diego Souza, é vencer ou vencer. Não adianta mais somar de um em um. O Dragão perdeu as últimas quatro em casa e ganhou só uma das últimas 12 partidas, já sabe que será rebaixado.

18h Bahia x Atlético-MG (Fonte Nova)
Turno: 0-2 Bahia
Prognóstico: 2-2
Aposta: mais de 2,5 gols
Assim como os clássicos entre paulistas e cariocas, este é também um jogo com implicações de Libertadores. Para o Bahia, já livre do rebaixamento muito antes do que o mais otimista torcedor imaginava, seria um prêmio e tanto. O time encaixou com Carpegiani e vai fazer estragos nas rodadas finais. Para o Atlético, dadas as expectativas antes do início do campeonato, seria um prêmio de consolação para lá de aceitável. Enquanto o Bahia, que é bom mandante, ganhou quatro, empatou duas e perdeu só uma com Carpegiani, o Galo, que é otimo visitante, ganhou quatro, empatou duas e perdeu duas com Oswaldo de Oliveira. Os últimos quatro duelos entre eles acabaram em empate em Salvador, e o Bahia não vence o Galo em casa desde 2002.

19h Cruzeiro x Fluminense (Mineirão)
Turno: 1-1
Prognóstico: Cruzeiro 2-0
Aposta: coluna 1 paga bem
O Cruzeiro ganhou só um dos últimos cinco jogos, era normal que o time caísse de rendimento após o título da Copa do Brasil. O Fluminense ganhou um de quatro e parece claro o destino: acabar na zona morta da tabela. Nem cai nem briga por nada lá em cima. O Flu joga sem Henrique Dourado, artilheiro do campeonato.

19h Coritiba x Ponte Preta (Couto Pereira)
Turno: Ponte 4-0
Prognóstico: Coxa 2-0
Aposta: coluna 1 paga bem
Com Eduardo Baptista, a Ponte conseguiu duas vitórias por 1 a 0, empatou um jogo e perdeu seis. O péssimo momento contrasta com o do Coritiba, que não perde há cinco jogos e, se vencer a rival direta, fica em situação muito confortável para evitar o rebaixamento. Para o Coxa, é a chance de respirar de vez. Para a Ponte, é final de campeonato. Típico confronto em que, historicamente, quem joga em casa, vence. Última vitória da Ponte em Curitiba foi 16 anos atrás. Com dois gols marcados nos últimos cinco jogos, Baptista promete escalação ofensiva.

SEGUNDA

20h Chapecoense x Santos (Arena Condá)
Turno: Santos 1-0
Prognóstico: 1-1
Aposta: melhor fugir!
Com Gilson Kleina, a Chape ganhou uma e empatou três. De pontinho em pontinho, vai ficando longe do rebaixamento – o que seria praticamente um título após a tragédia de um ano atrás. O Santos é um dos times mais difíceis de prever neste campeonato. Vive em litígio com a torcida e joga sem Bruno Henrique, mas está em terceiro na tabela e quer se garantir com vaga direta na Libertadores. Jogo tem cheiro de empate.


São Paulo joga por liderança do returno e foco na Libertadores
Comentários Comente

Julio Gomes

Afastado o risco de rebaixamento, que nunca foi tão real na história do São Paulo Futebol Clube, os objetivos agora são outros. O jogo desta quinta, contra a Chapecoense, no Pacaembu, pode alçar o São Paulo à liderança do returno do Brasileirão e mostrar se o time vai seriamente buscar uma vaga na Libertadores.

Uma vitória sobre a Chape seria a quarta seguida do São Paulo, o que ainda não aconteceu neste ano. O time de Dorival Jr iria a 27 pontos no segundo turno, deixando para trás o Botafogo, que soma 26, e o Cruzeiro, que abriu a rodada com 24 e ficou neles. O Vasco, praticamente imbatível com Zé Ricardo, também tem 24 no recorte que leva em conta só o returno.

São Paulo, Botafogo e Vasco são três postulantes reais a vagas na Libertadores, e esta é a briga que promete pegar fogo na reta final do campeonato. Até porque não é possível saber quantas serão as vagas.

Os quatro primeiros entram diretamente na Libertadores. Corinthians, Grêmio e Santos estão firmes neste G4, o Palmeiras nem tanto. Quinto e sexto vão à fase prévia da competição continental. Mas este G6 pode até virar G9, porque o Cruzeiro já está garantido na Libertadores e o mesmo pode acontecer com Grêmio, se for campeão da edição atual, e Flamengo, se for campeão da Sul-Americana (está na semifinal).

O Botafogo e o Flamengo são sombras reais ao Palmeiras. O Vasco é uma sombra real aos dois rivais cariocas. São Paulo e Atlético Mineiro podem entrar firmes nesta briga se vencerem seus jogos nesta quinta. O domingo reserva confrontos diretos, com Palmeiras x Flamengo e Vasco x São Paulo.

Não pode ser descartado nem o Bahia, que vive grande fase desde a chegada de Carpegiani e, já livre do rebaixamento, estará levinho levinho, correndo por fora nesta briga.

Aqui vão prognósticos e dicas para os jogos de quinta. Nos de quarta, foram três boas dicas e três furadas.

QUINTA

20h São Paulo x Chapecoense (Pacaembu)
Turno: Chape 2-0
Colocação: 9-SPFC (43), 14-Chape (40)
Prognóstico: São Paulo 1-0
Aposta: coluna 1 paga mal, melhor fugir
Sem Cueva, que tenta levar o Peru para a Copa, o São Paulo deve ter o jovem Shaylon entre os titulares. Pelo momento, a confiança adquirida, Hernanes e jogar em casa, o São Paulo é favorito. Mas este é um jogo bastante perigoso. A Chape, que não se afastou totalmente do rebaixamento, ainda não perdeu com Gilson Kleina e costuma ser uma pedra no sapato tricolor. Nunca perdeu em uma visita a São Paulo (dois empates e uma vitória) e, até hoje, em sete confrontos, o São Paulo só venceu a Chape uma vez.

20h Atlético-MG x Atlético-GO (Independência)
Turno: 1-2 CAM
Colocação: 12-CAM (42), 20-Atlético-GO (27)
Prognóstico: Galo 3-0
Aposta: Galo por 2 ou mais gols de diferença
Assim como o São Paulo, o Galo joga hoje para entrar de vez na briga por Libertadores – precisa melhor o desempenho, só ganhou uma das últimas cinco. Tem obrigação de vitória, apesar do mau desempenho ao longo do ano no Horto. O adversário está virtualmente rebaixado, não vence há seis jogos e alguns jogadores não atuarão mais, como Walter. No Galo, Valdivia ocupa a vaga do suspenso Otero e faz companhia a Cazares, Robinho e Fred no ataque.

21h Fluminense x Coritiba (Maracanã)
Turno: 1-2 Flu
Colocação: 13-Flu (42), 15-Coxa (38)
Prognóstico: Flu 2-1
Aposta: ambos marcam
o Coritiba tinha pinta de rebaixado, quando de repente engatou uma série de três vitórias e um empate, escapando da zona de rebaixamento. Está dois pontos acima, então qualquer coisa que some no Rio será lucro. O Flu está virtualmente livre desta briga e, se vencer, muda o foco e passa a sonhar com Libertadores. Cinco dos últimos oito jogos entre eles acabaram empatadas, e o Coxa não vence o Flu no Rio desde 2009. É um jogo de difícil prognóstico, pois o momento do Coritiba é bom. Mas dou ligeiro favoritismo a quem atua em casa.


Brasileiro, ato 32: a reta final pelo título começa agora
Comentários Comente

Julio Gomes

Venho dizendo nas minhas tribunas que o dérbi de domingo, entre Corinthians e Palmeiras, decidirá o campeão. Quem vencer sairá tão fortalecido e dará uma marretada tão forte na cabeça do outro que é bem plausível prever que o time vencedor fará todos ou quase todos os pontos possíveis nas seis rodadas finais.

Mas e o empate? E o fator Santos?

O fator Santos vai entrar em jogo a partir deste sábado, no duelo contra o Atlético Mineiro, na Vila Belmiro.

O Santos se arrastou durante o campeonato. Fez duas trocas de técnicos para lá de duvidosas, vive em litígio com a torcida, que não comparece na Vila e ainda fez de Lucas Lima o vilão do momento (sem perceber que os pivôs da saída dele, sem compensação financeira para o clube, são outros).

É um clube que teria uns 10 a 15 pontos a menos no campeonato, não fossem as impressionantes atuações do goleiro Vanderlei. Uma das mais significativas delas foi justamente contra o Atlético, em BH, quando pegou até pênalti.

Ainda assim, com tudo isso, aos trancos e barrancos, com Vanderlei e Bruno Henrique, o Santos está a seis pontos da liderança. E o discurso inicial de Elano, que ficará no comando até o fim do campeonato, foi bem interessante. É um campeão, um ex-jogador histórico do clube e que potencialmente pode encontrar o discurso ideal para este grupo de atletas.

Se o Santos conseguir embalar neste fim de ano, ele pode ser o campeão mais improvável que vimos nos últimos tempos.

E qualquer time pode embalar neste campeonato hipernivelado. Já vimos vários times embalarem, até mesmo Avaí e Atlético-GO no começo do returno. Neste momento, os mais embalados são Palmeiras e São Paulo. Por que não o Santos nos sete jogos finais?

O Santos precisa vencer o Atlético na Vila, um adversário perigoso, um dos melhores visitantes do campeonato e ainda sonhando com Libertadores. E precisa muito de um empate no dérbi de domingo – ou pelo menos que o Corinthians não vença.

É surreal. Mas não podemos descartar o Santos nessa briga.

Por outro lado, se o Santos tropeçar em casa, um empate torna-se um resultado maravilhoso para o Corinthians no dérbi.

No primeiro turno, a rodada 13 quebrou a banca das casas de apostas. Só um mandante e OITO visitantes saíram vitoriosos. Ao final dela, o Corinthians tinha 10 pontos de vantagem para o Grêmio, 12 para o Santos e 16 para o Palmeiras.

O que acontecerá no returno? Aqui vão os prognósticos e dicas de apostas da rodada.

SÁBADO

17h Santos x Atlético-MG (Vila)
Turno: 0-1 Santos
Colocação: 3-Santos (53), 10-CAM (42)
Prognóstico: Santos 3-1 Galo
Aposta: mais de 2,5 gols
É o duelo entre o melhor mandante e o segundo melhor visitante. A promessa é de gols, com dois times escalados ofensivamente, e alternância no placar. Só a vitória interessa a ambos para tentarem chegar aos objetivos. Novo reencontro de Robinho com a torcida santista.

19h Botafogo x Fluminense (Engenhão)
Turno: 0-1 Fogo
Colocação: 6-Fogo (48), 14-Flu (39)
Prognóstico: Botafogo 2-0
Aposta: menos de 2,5 gols (coluna 1 pagando bem também)
Tudo o que queremos no último clássico carioca do ano é um pênalti para o Flu! O que seria do duelo entre Henrique Dourado e Gatito? Uau. Brincadeiras à parte, o Botafogo é favorito em um jogo que reúne um time consistente e que teve a semana toda para treinar contra um time jovem, imaturo e que foi eliminando de forma traumática pelo Flamengo na Sul-Americana. O Flu está perto de se salvar logo do drama do rebaixamento, mas essas rodadas finais podem ser muito longas, especialmente se o time não somar pontos fora de casa (não vence há quase quatro meses fora). O Botafogo segue firme rumo à Libertadores e pode sim entrar no G4 – com o Grêmio pensando em outra coisa, fica mais fácil.

19h Atlético-GO x São Paulo (Serra Dourada)
Turno: 2-2
Colocação: 20-Atlético (27), 11-SPFC (40)
Prognóstico: 1-3
Aposta: coluna 2 paga bem
Duelo do segundo pior mandante contra o segundo pior visitante. O jogo será no Serra Dourada, e o São Paulo deve ter apoio grande de sua torcida no Centro-Oeste do país. O Atlético-GO só ganhou 1 das últimas 11 partidas como mandante, e o São Paulo vem apresentando bom futebol. Já está praticamente livre do rebaixamento. Tem tudo para vencer, fazer a Série B virar um pesadelo distante e começar a focar em Libertadores.

21h Coritiba x Avaí (Couto Pereira)
Turno: 1-4 Coxa
Colocação: 16-Coxa (35), 18-Avaí (35)
Prognóstico: 0-1
Aposta: alguém fica sem marcar
Confronto crucial na briga contra o rebaixamento. Com sete pontos dos últimos nove possível, o Coritiba, que tinha pinta de rebaixado, saiu do Z4. O Avaí, que começou tão bem o returno, ganhou só um dos últimos oito jogos. O momento é todo do Coxa, mas estes são os jogos em que o Avaí surpreendeu todo mundo. Quem fizer primeiro deve levar, se é que alguém fará gol – é um jogo que promete poucos gols.

DOMINGO

17h Corinthians x Palmeiras (Itaquera)
Turno: 0-2 Corinthians
Colocação: 1-SCCP (59), 2-Palmeiras (54)
Prognóstico: 1-1
Aposta: melhor fugir!
O grande jogo da rodada e do campeonato. Quem vencer, sairá muito fortalecido rumo ao título. O Corinthians ganhou um banho de massa neste sábado e vai com Clayson e Camacho no lugar de Jadson e Maycon. Não entendo por que Carille passou a semana dando tantas informações para o adversário. O Corinthians, mesmo em casa, deve tentar se aproveitar dos espaços deixados pelo Palmeiras, que é o time para quem só a vitória interessa. Jogo de difícil prognóstico, assim como o campeonato.

17h Cruzeiro x Atlético-PR (Mineirão)
Turno: 0-2 Cruzeiro
Colocação: 5-Cruzeiro (48), 9-CAP (42)
Prognóstico: 1-1
Aposta: menos de 2,5 gols
O Atlético-PR já beliscou muitas vitórias sobre o Cruzeiro fora de casa. É um jogo difícil de prognosticar, pois o Cruzeiro já não tem tanta motivação no campeonato – mas jogou bem contra o Palmeiras. O Atlético-PR busca Libertadores, mas é um time instável demais. O Furacão não terá Gedoz, Nikão e Thiago Heleno.

17h Grêmio x Flamengo (Arena)
Turno: 0-1 Grêmio
Colocação: 4-Grêmio (51), 7-Fla (47)
Prognóstico: Grêmio 1-0
Aposta: menos de 2,5 gols
O Grêmio deve mandar time misto a campo, poupando alguns jogadores que atuaram na quarta-feira. O Flamengo também teve um jogo desgastante na quarta e pode ficar sem alguns atletas – Diego, por exemplo, é desfalque certo. São dois times com a cabeça em outro lugar. Mas, claro, quem perder (se perder) na competição continental, pode se lembrar com remorso da falta de motivação para este duelo na Arena. Veremos.

18h Bahia x Ponte Preta (Fonte Nova)
Turno: 0-3 Bahia
Colocação: 13-Bahia (39), 17-Ponte (35)
Prognóstico: Bahia 2-0
Aposta: coluna 1
O Bahia é o principal favorito da rodada. Tem feito o serviço em casa e jogando bem com Carpegiani, enquanto a Ponte Preta é a pior visitante do campeonato. A Ponte não vence o Bahia desde 2008, há nove partidas (cinco derrotas e quatro empates). Se ganhar, o Bahia praticamente se garante na primeira divisão e joga tranquilo nas seis rodadas finais.

19h Vasco x Vitória (Maracanã)
Turno: 1-4 Vasco
Colocação: 8-Vasco (44), 19-Vitória (34)
Prognóstico: Vasco 2-1
Aposta: ambos marcam
Com Zé Ricardo, o Vasco ganhou quatro, empatou quatro e perdeu só uma. Da briga lá embaixo, pulou para a briga por Libertadores. O Vitória, todos sabemos, é péssimo em casa e traiçoeiro fora, onde consegue a maioria de seus pontos. O time de Mancini está há cinco jogos sem vitória, em situação bastante delicada. O Vasco tem Luis Fabiano e Breno de volta e é favorito, mas convém não subestimar o Vitória.

19h Chapecoense x Sport (Arena Condá)
Turno: Sport 3-0
Colocação: 12-Chape (39), 15-Sport (35)
Prognóstico: Chape 2-0
Aposta: coluna 1
No turno, este foi o único jogo da rodada com vitória do mandante. O Sport ganhou 1 de seus últimos 14 jogos no Brasileiro e este é um jogo decisivo. Se vencer, respira e traz a Chapecoense de volta para a briga do rebaixamento. Já a Chape sabe que uma vitória no confronto direto praticamente garante a permanência na Série A. O Sport conta com a volta de cinco titulares, que nem viajaram para a Colômbia no meio de semana, mas tem desfalques de Rithely, Ronaldo Alves, Samuel Xavier e, talvez, Anselmo e Rogério.


Brasileiro, ato 31: Corinthians e Palmeiras condicionados pelo dérbi
Comentários Comente

Julio Gomes

O Corinthians conseguiu o impossível: reabrir o campeonato. Apesar de o Santos teimar em ficar na briga, mesmo jogando uma bolinha pequena e em litígio com sua própria torcida, tudo indica que o confronto direto entre Corinthians e Palmeiras, na rodada que vem, indicará o campeão.

É verdade que o sábado é de dois clássicos importantes. O São Paulo ainda não está livre do fantasma da Série B, o Santos ainda sonha, Flamengo e Vasco jogam por Libertadores. Mas é no domingo e na segunda-feira que estão as partidas mais importantes se pensarmos em título.

Quem vencer o dérbi de Itaquera, no outro domingo, terá todos os ingredientes em mãos para caminhar rumo ao título. Sairá mentalmente tão fortalecido que é difícil imaginar que não vença praticamente todos os jogos dos seis que restarão.

Sim, pode haver um cenário que o Palmeiras vença o dérbi, mas ainda não passe o Corinthians. Fique um, três ou quatro pontos atrás, por exemplo. Ainda assim, colocarei o time de Valentim como favorito ao título. Se sair vencedor de Itaquera, atropelará na reta final.

Mas e o empate? Quem sairá do dérbi contente com um empate? É isso que a atual rodada, a 31, irá definir. Os jogos dos próximos dias estão totalmente condicionados pelo jogo que virá no fim de semana que vem.

O Corinthians tem um duelo de desesperados contra a Ponte Preta, em Campinas. Um time que fez só 4 de 18 pontos possíveis com Eduardo Baptista e que está namorando firme com o rebaixamento. Uma vitória sobre um rival como o Corinthians mudaria tudo. Uma derrota afundaria o barco.

O Palmeiras só entra em campo no dia seguinte, contra o Cruzeiro. Está embalado por três vitórias seguidas, está com moral, a torcida voltou a acreditar e o Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil, já está jogando o Brasileiro só por jogar. Mano Menezes, com muitos amigos no Palmeiras, que queria contratá-lo, não é exatamente muito amigo da diretoria atual do Corinthians. Não estou insinuando nada, é apenas mais um componente de não motivação.

É óbvio que o Cruzeiro é mais time que a Ponte Preta. Mas a Ponte joga a vida, o Cruzeiro, não. O Corinthians tem um adversário mais perigoso. E, de quebra, entra em campo com oito pendurados. Cássio, Pablo, Balbuena, Gabriel, Camacho, Rodriguinho, Jadson e Jô. São sete titulares e um reserva que costuma ter minutos.

Mesmo que eles tenham ordem para não tirar o pé, jogar com vontade máxima, não reclamar com o juiz, será que o inconsciente não fará essa turma toda jogar de outra forma? Ninguém quer perder o dérbi.

Se o Corinthians sair desta rodada com os mesmos seis pontos de vantagem para o Palmeiras ou conseguir ampliá-los, o empate estará de ótimo tamanho no clássico de Itaquera. Especialmente se tiver perdido muitos dos pendurados.

Mas, se o Palmeiras tiver conseguido diminuir a desvantagem atual para três ou quatro pontos, é ele que pode muito bem se satisfazer com o empate em Itaquera. Três ou quatro pontos são uma diferença para lá de tirável nas seis rodadas finais, dados os estados de forma dos dois times.

Devido a um probleminha pessoal, não pude fazer os prognósticos e dar as dicas de apostas para as rodadas 29 e 30, peço desculpas aos leitores. Vamos com tudo daqui até o final.

SÁBADO

17h São Paulo x Santos (Pacaembu)
Turno: Santos 3-2
Colocação: 14-SPFC (37), 3-Santos (53)
Prognóstico: 1-2 Santos
Aposta: ambos marcam
O São Paulo não vence duas seguidas desde maio, enquanto o Santos não perde há seis rodadas, só perdeu uma das últimas 20 que fez no campeonato – são muitos empates, claro, especialmente fora de casa. Nos últimos nove jogos fora, o Santos ganhou uma (contra o Palmeiras), empatou sete e perdeu uma. O São Paulo, em casa, ganhou quatro e empatou duas das últimas seis – fez 78% de seus pontos jogando com o apoio de sua torcida. O jogo será no Pacaembu, com mando do São Paulo. Mas é um estádio onde o Santos não perde desde 2014 e está invicto há 25 jogos. Renato está de volta ao time, que também terá Bruno Henrique. É um jogo com cheiraço de empate, que não seria ruim para o São Paulo e é uma constante deste Santos. Mas empates são raros no San-São, e o Santos ganhou 7 dos 11 clássicos disputados de 2015 para cá.

19h Flamengo x Vasco (Maracanã)
Turno: 0-1 Fla
Colocação: 7-Fla (46), 8-Vasco (43)
Prognóstico: 0-1 Vasco
Aposta: menos de 2,5 gols (mas está pagando muito para vitória vascaína)
O clássico do turno acabou em confusão e gerou um longo calvário para o Vasco, que ficou afastado de São Januário. O técnico do Flamengo era justamente Zé Ricardo, que agora enfrenta seu ex-clube. Desde que chegou ao Vasco, Zé Ricardo levou o time a quatro vitórias, três empates e uma derrota (a do gol de mão de Jô). Uma vitória faria o Vasco ultrapassar o próprio Flamengo na tabela e entrar na zona da Libertadores. Sem o suspenso Cuellar e os lesionados Réver, Guerrero e Berrío, o Flamengo deve escalar Rhodolfo, Márcio Araújo e Paquetá. Rueda tem como desafio fazer o Flamengo jogar com determinação e intensidade, raridades na temporada.

21h Atlético-PR x Chapecoense (Baixada)
Turno: 1-1
Colocação: 9-CAP (41), 11-Chape (38)
Prognóstico: 1-1
Aposta: melhor fugir, mas coluna 1 paga bem
Se o Furacão quiser voltar à Libertadores, não pode pensar em tropeçar neste jogo. A Chape respirou com duas vitórias seguidas, a última já sob o comando de Kleina. São dois times em bom momento, em um confronto que historicamente apresenta muitos empates.

DOMINGO

17h Ponte Preta x Corinthians (Moisés Lucarelli)
Turno: Corinthians 2-0
Colocação: 18-Ponte (32), 1-SCCP (59)
Prognóstico: 1-1
Aposta: coluna 2, com empate anula
O grande jogo da rodada, com dois times desesperados e em péssima fase. Um para não cair, o outro para não jogar pela janela um campeonato ganho. O Corinthians só fez 8 gols em 11 jogos no returno, todos eles marcados por Jô ou Clayson, é um time que não funciona mais. Mas tem pela frente um adversário quase ideal, uma Ponte que é freguesa histórica e só ganhou um de seis jogos desde o retorno de Eduardo Baptista. Pelo Paulistão, o Corinthians quase sempre vence em Campinas, mas pelo Brasileiro a última vitória veio em 2005. Com a volta de Pablo, Carille mandará a campo o que considera o Corinthians ideal – que inclui Romero, Jadson e mais uma turma que parece que se esqueceu de jogar bola.

17h Fluminense x Bahia (Maracanã)
Turno: 1-1
Colocação: 13-Flu (38), 12-Bahia (38)
Prognóstico: Flu 2-1
Aposta: coluna 1, com empate anula
Fora de casa, o Bahia não vence há mais de três meses – três empates e quatro derrotas nas últimas sete partidas. O Flu, que tinha um desempenho pífio em casa, melhorou e ainda conta com um retrospecto muito bom contra o Bahia. Quem vencer estará praticamente livre do rebaixamento.

17h Atlético-MG x Botafogo (Independência)
Turno: 1-1
Colocação: 10-CAM (41), 6-Fogo (47)
Prognóstico: 1-3 Fogo
Aposta: melhor fugir
Jogo crucial na briga por Libertadores. Para o Galo, é vencer ou vencer – o que não tem sido tão corriqueiro neste ano no Horto. O Botafogo já eliminou o Atlético na Copa do Brasil neste ano e costuma ser uma pedra no sapato do time mineito.

18h Sport x Coritiba (Ilha do Retiro)
Turno: 0-3 Sport
Colocação: 15-Sport (35), 19-Coxa (32)
Prognóstico: Sport 1-0
Aposta: menos de 2,5 gols
Confronto crucial na briga contra o rebaixamento, reunindo os dois piores times do returno – ambos venceram só 1 de 11 jogos, somando sete pontos. O Sport demitiu Luxemburgo e vai de Daniel Paulista até o fim. Pelo Brasileiro, o time não vence na Ilha há mais de três meses, com dois empates e cinco derrotas nos últimos sete jogos. Já o Coxa, fora de casa, empatou três e perdeu três das última seis. No ano passado, o Coritiba quebrou um tabu, vencendo o Sport na Ilha pela primeira vez. É, historicamente, um estádio ruim para o Coxa.

18h Vitória x Atlético-GO (Barradão)
Turno: 1-2 Vitória
Colocação: 17-Vitória (33), 20-Atlético-GO (26)
Prognóstico: Vitória 2-1
Aposta: melhor fugir
Pior mandante, o Vitória conseguiu perder 10 de 15 jogos que fez em casa. Se não ganhar do lanterna, vai ganhar de quem? Está na hora de o Vitória pagar um pouquinho da dívida que tem com a torcida, até porque já são quatro jogos sem vitórias e a situação é preocupante. Após esboçar reação no returno, o Atlético-GO perdeu as últimas três e já sabe que não conseguirá escapar da degola. Ainda assim, pode beliscar algum pontinho em Salvador.

19h Avaí x Grêmio (Ressacada)
Turno: 0-2 Avaí
Colocação: 16-Avaí (34), 4-Grêmio (50)
Prognóstico: Avaí 1-0
Aposta: menos de 2,5 gols, mas coluna 1 pagando bem
O Grêmio, com um pé na final da Libertadores, mandará a campo um time completamente reserva. Aquele time que apanhou de todo mundo no campeonato inteiro. Chance de ouro para o Avaí, o mandante que mais empata no Brasileiro, para abrir vantagem para o Z4.

SEGUNDA

20h Palmeiras x Cruzeiro (Allianz)
Turno: Cruzeiro 3-1
Colocação: 2-Palmeiras (53), 5-Cruzeiro (47)
Prognóstico: 2-0
Aposta: coluna 1
A torcida vai lotar o Allianz e empurrar o Palmeiras, que venceu as três desde a saída de Cuca. Independente do que faça o Corinthians no domingo, a chance de chegar vivo no dérbi e sonhar com o bi passa por vencer o Cruzeiro. São dois dos melhores times do returno, atrás só do Botafogo, mas o Cruzeiro já dá mostras de desinteresse no campeonato e perdeu as últimas duas. O time mineiro é uma pedra no sapato palmeirense e passou pelo Verde na trajetória de sucesso na Copa do Brasil. O Palmeiras não terá Bruno Henrique, suspenso, mas talvez tenha o retorno de Mina.


Brasileiro, ato 28: rodada sem favoritos expõe equilíbrio do campeonato
Comentários Comente

Julio Gomes

Nas casas de apostas, Santos e Fluminense, que recebem Vitória e Avaí, são os únicos favoritos destacados na rodada 28 do Brasileiro. Mas me diga: você se atreveria a apostar contra Vitória e Avaí, que conseguiram resultados surreais fora de casa ao longo do campeonato? Pois é.

Esta é uma rodada em que qualquer resultado pode ser considerado normal em qualquer jogo. Um pequeno retrato do equilíbrio inacreditável que é a principal marca do Brasileiro.

A briga é boa lá na parte de baixo. Em cima, está tudo para lá de resolvido. Aqui vão os prognósticos:

SÁBADO

19h Vasco x Botafogo (Maracanã)
Turno: Fogo 3-1
Colocação: 6-Fogo (43), 9-Vasco (36)
Prognóstico: 1-1
Aposta: menos de 2,5 gols
Clássico de prognóstico complicado. São dois times que vivem bom momento, o Botafogo mais dentro do que nunca da briga pela Libertadores, o Vasco querendo entrar nela e se afastar de vez do bolo de baixo. O Vasco, com Zé Ricardo, estancou a sangria de gols. E o Botafogo também não é um time que se expõe demais. Probabilidade grande de um jogo bem disputado e decidido nos detalhes, em algum erro.

21h São Paulo x Atlético-PR (Pacaembu)
Turno: CAP 1-0
Colocação: 17-SPFC (31), 10-CAP (35)
Prognóstico: SPFC 1-0
Aposta: coluna 1 paga bem
Com apenas uma vitória nos últimos sete jogos, o Atlético-PR, que chegou a sonhar com Libertadores, hoje precisa ficar esperto para não ser trazido para o bolo do rebaixamento – o que acontecerá em caso de derrota no Pacaembu (o São Paulo ficará afastado do Morumbi por cinco jogos). O Atlético ganhou quatro dos últimos cinco duelos entre eles, incluindo uma raríssima vitória no Morumbi no ano passado – é um confronto em que o mandante costuma prevalecer historicamente. Dorival tem Cueva e Arboleda de volta, já o Atlético não terá Paulo André, Fabrício e Lucho. Ligeiro favoritismo do São Paulo.

DOMINGO

17h Fluminense x Avaí (Maracanã)
Turno: 0-3 Flu
Colocação: 16-Flu (32), 18-Avaí (30)
Prognóstico: Flu 2-0
Aposta: melhor fugir
Depois de um grande início de segundo turno, o Avaí amargou maus resultados e voltou à zona de rebaixamento. Normal, é um time limitado, como quase todos, e que se dá melhor contra atacando fora de casa, como quase todos. O Flu não vence no Brasileiro há seis jogos, quase dois meses, mas mostrou sinais de vida no Fla-Flu. Venceu sete dos últimos oito jogos que fez contra o Avaí e precisa do resultado em casa para respirar. Se não vencer, possivelmente acabará a rodada no Z4. Mas já sabem. Um monte de gente já achou que os três pontos em casa contra o Avaí eram favas contadas…

17h Sport x Atlético-MG (Ilha do Retiro)
Turno: 2-2
Colocação: 11-Sport (33), 8-CAM (37)
Prognóstico: 1-2 Galo
Aposta: ambos marcam
Confronto entre Luxemburgo e Oswaldo de Oliveira, que já trabalharam juntos na era dos dinossauros. Um duelo da velha geração, podemos chamar assim. Oswaldo trouxe de volta a paz ao Galo, com bons resultados e esperança de buscar a Libertadores. O Sport, que vive em altos e baixos, conseguiu importante vitória em Salvador no meio de semana. O Galo não terá Robinho, o Sport não terá André. O Atlético, terceiro melhor visitante, pode surpreender. Promessa de jogo com gols e alternativas no marcador.

17h Atlético-GO x Palmeiras (Olímpico)
Turno: Palmeiras 1-0
Colocação: 20-Atlético (26), 5-Palmeiras (44)
Prognóstico: 1-1
Aposta: duplo, Atlético ou empate
O Palmeiras vai com técnico interino, é uma incógnita. O Atlético-GO tem jogado bem e está firme na busca pela permanência. Difícil, mas ainda dá.

17h Chapecoense x Flamengo (Arena Condá)
Turno: Fla 5-1
Colocação: 13-Chape (32), 7-Fla (40)
Prognóstico: 1-1
Aposta: menos de 2,5 gols
Contra a Chape, no turno ou na Sul-Americana, o Flamengo teve suas vitórias mais folgadas. Se o time de Rueda não acordar, acabará fora da Libertadores. Jogo de prognóstico muito difícil em Chapecó.

19h Coritiba x Grêmio (Couto Pereira)
Turno: Grêmio 2-0
Colocação: 19-Coxa (28), 4-Grêmio (46)
Prognóstico: 0-2 Grêmio
Aposta: coluna 2 paga bem
O Coritiba é o time com mais pinta de rebaixado do campeonato neste momento. Mas todos sabemos que uma vitória já lhe coloca de novo no bolo. O Grêmio está com a cabeça em outro lugar, mas pode sair de Curitiba com uma vitória, dados o desespero e mau jogo do adversário.

19h Bahia x Corinthians (Fonte Nova)
Turno: Corinthians 3-0
Colocação: 14-Bahia (32), 1-Corinthians (58)
Prognóstico: 1-1
Aposta: menos de 2,5 gols
Carpegiani começou bem no Bahia, e o Corinthians vive um mar de tranquilidade. A taça é só questão de tempo. Empate deixará todo mundo feliz da vida.

SEGUNDA

20h Santos x Vitória (Pacaembu)
Turno: 0-2 Santos
Colocação: 2-Santos (48), 12-Vitória (32)
Prognóstico: Santos 1-0
Aposta: melhor fugir
Nas casas de apostas, o Santos é o principal favorito da rodada. É o mandante com melhor percentual de aproveitamento no campeonato. Mas o Vitória, adivinhem, é o segundo melhor visitante. Não me atrevo a apostar contra o time de Mancini, ainda que o Santos tenha o favoritismo.

* Cruzeiro e Ponte Preta fizeram o jogo adiantado da rodada, com vitória cruzeirense por 2 a 1. A classificação dos times aí acima já leva em conta esse jogo.