PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Sorteio da Champions põe, finalmente, Zidane diante de Guardiola

Julio Gomes

16/12/2019 09h07

Foi realizado nesta segunda de manhã o sorteio das oitavas de final da Champions League, o mata-mata que todo mundo espera ansiosamente para assistir. Como sempre, alguns abrem um sorrisão genuíno, outros abrem um sorriso amarelo. E Zidane, que ganhou simplesmente todas as Champions que disputou como técnico, agora terá de passar pela primeira vez por um time comandando por Pep Guardiola.

Entre os favoritos, PSG, Juventus e Barcelona não podem reclamar da sorte.

O PSG, contra um claudicante Dortmund, a Juventus, contra o um fraco Lyon, e o Barcelona, contra um talentoso, mas instável, Napoli, têm tudo para estar nas quartas de final. Depois das eliminações contra Real e Manchester United nos últimos dois anos, pode ter chegado a hora de vermos, finalmente, Neymar entre os oito da Europa.

Todos os primeiros colocados queriam pegar a Atalanta, e todos os segundos queriam pegar o Valencia. Resultado? Lógico, Atalanta x Valencia – quem passar deste duelo será o patinho feio das quartas de final.

Os dois melhores times da Inglaterra e do mundo, Liverpool e Manchester City, terão de passar por Madrid para chegar à final. São os dois grandes jogos das oitavas de final: Real Madrid x City e Atlético x Liverpool.

O Liverpool é o grande time de 2019, atual detentor do título europeu, a ponto de quebrar um tabu de 30 anos e reconquistar, finalmente, a Liga inglesa. Na última Champions, passou por todas as pedreiras que lhe foram oferecidas no mata-mata. E, desta vez, tem mais uma.

Nunca é fácil enfrentar o time de Simeone, que se consolidou com uma força europeia nesta década. O Atlético de Madrid passa por uma temporada de renovação e transição, alguns até ousam pedir a cabeça do técnico argentino. A linha defensiva foi inteiramente renovada, mas segue forte, e o problema a ser resolvido está na falta de gols. Esse é um problema que acabar a qualquer momento, fevereiro ainda está longe.

Se tem um time que não dará o espaço que o Liverpool tanto gosta para jogar, este é o Atlético.

O grande desafiante ao Liverpool na Inglaterra e na Europa é o time de Guardiola. E o Manchester City também tem que passar por Madrid, mas para enfrentar o Real. Assim como o Atlético, o Real passa por uma renovação nas mãos de Zidane, não se sabe bem quem é titular, quem não é, cada rodada é uma história. Mas o jogo do time branco está melhorando, o nível de competitividade, aumentando.

Depois de ganhar duas vezes a Champions no início de sua carreira, com o Barça (09 e 11), Guardiola não conseguiu mais chegar à decisão. Em 14, 15 e 16, no comando do Bayern, caiu três vezes nas semifinais contra espanhóis. Com o City, em 17, 18 e 19, nem das quartas passou.

Zidane, em sua rota rumo ao tri em 16, 17 e 18, nunca precisou enfrentar um time de Guardiola no mata-mata. O que faz deste duelo interessantíssimo. Pelo futebol apresentado hoje e o elenco de cada um, o City é mais forte. Mas é simplesmente ousado demais duvidar do maior campeão europeu da história e do único técnico capaz de levantar a Champions três vezes seguidas.

Hoje, Klopp é o nome da vez. Guardiola é inegavelmente o técnico da década. Só que foi Zidane quem levantou a orelhuda três vezes. Desempenho versus resultado, o eterno debate. Os times de Guardiola sempre foram tidos como geniais, enquanto a importância de Zidane sempre foi relativizada. Utopia versus realidade.

A maravilha do mata-mata é que ele nos proporciona os duelos diretos para tirarmos as dúvidas.

Chega logo, fevereiro! Aqui estão os duelos e meus percentuais de favoritismo na fotografia deste momento.

Borussia Dortmund x Paris-Saint Germain (PSG 70-30)
Real Madrid x Manchester City (City 55-45)
Atalanta x Valencia (Valencia 60-40)
Atlético de Madrid x Liverpool (Liverpool 60-40)
Chelsea x Bayern de Munique (Bayern 55-45)
Lyon x Juventus (Juventus 80-20)
Tottenham x Leipzig (50-50)
Napoli x Barcelona (Barça 75-25)

Sobre o Autor

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

Sobre o Blog

Este blog fala (muito) de futebol, mas também se aventura em outros esportes e gosta de divagar sobre a vida em nossa e outras sociedades.

Julio Gomes