PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Real Madrid x PSG vale mais do que parece na Champions

Julio Gomes

26/11/2019 05h00

A penúltima rodada da fase de grupos da Champions League começa nesta terça sem muitas coisas importantes para serem jogadas.

No grupo A, o PSG será primeiro e o Real Madrid segundo, o que tira um pouco do peso do confronto entre eles, no Santiago Bernabéu. Já falarei disso aqui neste post.

No grupo B, o Bayern será primeiro e o Tottenham será segundo, possivelmente confirmando vaga no jogo contra o Olympiacos. Bom jogo para José Mourinho ir ganhando moral e a confiança do elenco.

No grupo C, o Manchester City vai confirmar a primeira posição. E, no grupo D, tem um jogão entre Juventus e Atlético de Madrid. Um empate garante a Juve em primeiro, já o instável Atlético tem de vencer em Turim para pular para a primeira posição e só depender dele no último jogo.

É um jogaço no papel, até que vale bastante, mas a Juventus é bem superior ao Atlético nesta primeira metade de temporada.

Voltamos, então, ao pesado Real Madrid x Paris. Um jogo que vale pela busca do equilíbrio e de respostas de dois dos elencos mais estrelados do mundo.

O Real Madrid, vamos lembrar, levou um 3 a 0 até humilhante em Paris. Apesar das cinco vitórias e um empate nos últimos seis jogos, com apenas um gol sofrido, o time de Zidane ainda busca um equilíbrio maior, para se colocar pronto antes do clássico contra o Barça e os jogos que importam, na segunda metade da temporada.

O Real é um dos times que menos distância percorrem nesta edição da Champions e segue com Bale no elenco, que parece ser mais estorvo do que solução, além de ser uma sombra para o desenvolvimento de Rodrygo. Vinícius Jr foi descartado novamente, e a grande notícia para o Madrid na temporada é a consolidação de Valverde, que barra Modric no meio de campo.

Já o Paris busca outro tipo de equilíbrio: o do vestiário. Cavani, barrado por Icardi, está p da vida. E Neymar, após voltar de lesão, reagiria bem ao banco?

Porque com o que Di María vem jogando e Mbappé titular, fica difícil achar espaço para Neymar. O alemão Tuchel teria de barrar seu melhor jogador na temporada (o argentino) ou desmontar um trio de meio de campo que tem funcionado.

O jogo em si, portanto, vale pouco para efeitos de classificação na Champions. Mas vale muito para o Real Madrid se consolidar como time competitivo e devolver a dura derrota de Paris. E vale muito para o PSG entender como (e se) encaixar Neymar e como lidar com um vestiário cheio de vaidades e biquinhos.

 

Sobre o Autor

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

Sobre o Blog

Este blog fala (muito) de futebol, mas também se aventura em outros esportes e gosta de divagar sobre a vida em nossa e outras sociedades.

Julio Gomes