Blog do Júlio Gomes

Sete momentos que definiram o sétimo título brasileiro do Corinthians

Julio Gomes

O Corinthians chegou ao heptacampeonato brasileiro com a vitória sobre o Fluminense, nesta quarta-feira. Abaixo, o blog preparou uma lista com o que considera os sete momentos-chave do título corintiano, que chega com três rodadas de antecipação.

1. Rodada 5: Vasco 2-5 Corinthians

Corinthians assume a liderança para não mais perder. Mesmo após o título paulista, o time ainda não inspirava confiança. Havia jogado mal nas rodadas iniciais, com vitórias magras, e chegava a São Januário (onde o Vasco tinha vencido seus dois jogos e mostrava força) sem três titulares por causa da data Fifa. Abriu 2 a 0, levou o 2 a 2 e ainda assim buscou a goleada. Marquinhos Gabriel, um reserva, brilhou. O Corinthians mostrava que não era fogo de palha.

2. Rodada 10: Grêmio 0-1 Corinthians

Os dois times já estavam bem na frente da concorrência, ganhando todos os jogos, e o Grêmio atuava em casa, podendo assumir a ponta. Contra o clube que mais venceu o Corinthians na história dos Brasileiros e diante de 54 mil pessoas, o time de Carille fez uma ótima partida. Anulou o Grêmio, fez 1-0 e Cássio defendeu um pênalti de Luan no final. O Corinthians abria vantagem de quatro pontos (nunca mais baixou disso).

3. Rodada 13: Palmeiras 0-2 Corinthians

O grande jogo de Guilherme Arana no campeonato, quebrando uma invencibilidade do Palmeiras de um ano no Allianz Parque. Corinthians acabava a rodada a 10 pontos do Grêmio, a 12 de Santos e Flamengo e a 16 do Palmeiras.

4. Rodada 17: Corinthians 1-1 Flamengo

Time já começava a dar alguns sinais da perda de rendimento que ocorreria no segundo turno. O Flamengo crescia e ainda parecia ser um time capaz de caçar o líder. Corinthians foi bem melhor no primeiro tempo, acabou fazendo o 1 a 0 com  Jô – após um gol mal anulado dele mesmo por impedimento. No segundo tempo, Flamengo foi superior, empatou e Diego perdeu um gol feito, que seria o da virada e poderia ter mexido com o campeonato.

5. Rodada 25: São Paulo 1-1 Corinthians

O Corinthians começou o segundo turno com três derrotas (encerrando uma série invicta inacreditável de 34 partidas), uma vitória em Chapecó aos 45 do segundo tempo e uma vitória sobre o Vasco com gol de mão de Jô. Foi, então, eliminado da Sul-Americana pelo Racing. A crise técnica já estava clara e chegou o clássico contra o São Paulo, que estava afundado na zona de rebaixamento e precisava da vitória. O jogo foi importante porque marcou o surgimento de Clayson, que fez o gol de empate, ganhou muito espaço, foi fundamental no returno e assumiria a titularidade na reta final do campeonato.

6. Rodada 31: Ponte Preta 1-0 Corinthians

A derrota em Campinas marcou o pior momento do Corinthians no ano. O time completava quatro jogos sem vitórias e somava 12 pontos em 12 jogos no returno. O medo de perder um campeonato ganho tomava conta do clube. O jogo teve um momento crucial: às vésperas do dérbi com o Palmeiras e com muitos pendurados, o Corinthians podia ter perdido Jô, que agrediu o zagueiro Rodrigo, da Ponte. O juiz não mostrou amarelo nem vermelho, e Jô pôde jogar e ser decisivo contra o Palmeiras (só seria suspenso duas rodadas depois). Outro fato importante gerado pela derrota em Campinas: Carille entendeu que precisava mudar o time, e Clayson e Camacho ganharam a titularidade, substituindo Jadson e Maycon.

7. Rodada 32: Corinthians 3-2 Palmeiras

O jogo do título – e da selfie de Romero, claro. Depois de tantas derrotas, o Corinthians tinha sua enorme vantagem reduzida a apenas 5 pontinhos. Mas o time respondeu na hora certa, da melhor forma possível e contra o melhor rival possível. Fez seu melhor jogo no campeonato, ganhou do Palmeiras, reconquistou toda a confiança perdida em apenas 90 minutos, voltou a abrir vantagem e ganhou todos os jogos depois daquele, consumando o hepta. Os jogos seguintes tiveram o pênalti defendido por Walter e o gol de Giovanni Augusto, contra o Atlético-PR, o improvável gol de Kazim sobre o Avaí e a virada, a única em todo o campeonato, sobre o Fluminense. Mas tudo isso foi decorrência da vitória no dérbi, que recolocou as coisas nos trilhos.