Blog do Júlio Gomes

Até agora, apito ajudou o Santos e prejudicou o Vitória no Brasileiro

Julio Gomes

O Santos deveria ter até seis pontos a menos na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, enquanto o Vitória poderia ter até quatro pontos a mais, o que lhe deixaria fora da zona de rebaixamento.

Apesar de grandes polêmicas terem envolvido o líder Corinthians, foram estes os dois times mais afetados (para bem ou para mal) na competição até agora. E, convenhamos, não são tantos pontos assim. A arbitragem erra feio para todos os lados.

Tanto que todos, absolutamente todos foram prejudicados em pelo menos um lance capital ao longo do primeiro turno. E somente o Vasco ficou sem ser beneficiado uma vez sequer – mas foi pouco prejudicado.

O blog está fazendo um acompanhamento rodada a rodada dos erros capitais, cruzando interpretações próprias com os veredictos da CBF em seu site oficial e as opiniões dos especialistas (como Sálvio Spínola, da ESPN, e Nadine Bastos, da Fox). Mais abaixo nesta postagem é possível ver a tabela completa de times prejudicados ou beneficiados em lances capitais e a quantidade de pontos que cada um deveria ter a mais ou a menos na tabela.

O mais polêmico, na hora de concluir que X pontos deveriam ser dados ou tirados em função de algum erro, é interpretar o tamanho da influência no resultado final da partida. E isso sempre será adivinhação. Pois podemos deduzir, mas nunca ter certeza do que aconteceria a partir daquele dado momento em que o erro foi cometido. Até mesmo concluir que um pênalti seja a mesma coisa que um gol é falho, porque nem todos os pênaltis são transformados em gol.

Por exemplo: no jogo entre Coritiba e Corinthians, pela oitava rodada, Jô teve um gol mal anulado por impedimento aos 42min do segundo tempo. É seguro dizer que o erro fez com que o Corinthians não vencesse o jogo. Nunca será 100% de certeza, mas quase. Neste caso, considero que o Coritiba ''ganhou'' um ponto, o Corinthians ''perdeu'' dois.

No entanto, no jogo entre Corinthians e Flamengo o gol mal anulado de Jô, ainda no começo do primeiro tempo, foi ''corrigido'' por ele mesmo ao fazer 1 a 0. Não dá para considerar que o jogo ficaria 2 a 0 para o Corinthians, a dinâmica é totalmente influenciada por um gol concretizado. A partida acabou empatada, e neste caso nenhum ponto é creditado ou debitado para qualquer um dos times.

Não é uma fórmula perfeita. Nunca poderia ser. Me xingar não vai mudar nada. E não quero aqui insinuar nada nem acusar ninguém. É apenas um levantamento a título de informação, desprovido de segundas intenções.

Apito amigo

O Santos ''ganhou'' seis pontos por ter conseguido três vitórias em jogos em que contou com ajuda da arbitragem. Na quinta rodada, ganhou do Botafogo no Pacaembu com um gol de falta de Victor Ferraz aos 50min do segundo tempo. A falta, sobre o próprio lateral, foi cavada, segundo suas próprias palavras. Na sétima rodada, ganhou do Palmeiras por 1 a 0, mas teve perdoado um pênalti cometido sobre Edu Dracena, já nos instantes finais.

Na nona rodada, vencia o Vitória por 1 a 0 em Salvador quando, aos 13min do segundo tempo, o árbitro não deu um pênalti claríssimo de David Braz sobre Neílton. Nos minutos finais, o Santos ainda fez 2 a 0.

Vai ter gente que vai falar que foi falta em Victor Ferraz no Pacaembu e que, depois, não foi o árbitro que fez a bela cobrança de falta. Ou que o Vitória poderia ter perdido o pênalti no Barradão, como perdeu sábado contra o Avaí. Sim! Como eu disse mais acima, estes são critérios que eu usei de forma equânime para todos os times do campeonato. Todos têm total liberdade para concordar ou discordar.

O time da Vila ainda teve um pênalti não marcado contra ele no jogo diante do Atlético-PR, quando vencia por 2 a 0 na Arena da Baixada. Neste caso, não considero que o erro tenha influenciado no resultado (ainda que pudesse, nunca saberemos). Por outro lado, o único lance em que foi prejudicado no campeonato foi logo na primeira rodada, um pênalti mal assinalado para o Fluminense, no Maracanã.

Apito inimigo

O Vitória foi o time com mais pênaltis mal marcados contra ele: cinco. Além do já citado contra o Santos, foi prejudicado contra o Atlético-PR, em Curitiba (jogo estava 1 a 1, poderia ficar 2 a 1 para o Vitória, acabou sendo 4 a 1 para o Furacão); contra a Chapecoense, em casa, teve um gol mal anulado com 0 a 0 e, já no final, com 2 a 1 contra, teve um pênalti não marcado que poderia ter sido o empate; contra o Cruzeiro, no Mineirão, empatou por 0 a 0 e teve pênalti não marcado já nos minutos finais; e, finalmente, contra a Ponte, em um jogo que venceu mesmo assim.

Além disso, o Vitória teve um gol mal anulado no Morumbi, quando perdia por 1 a 0 para o São Paulo – poderia ser o 1 a 1, o jogo acabou 2 a 0. Por outro lado, o Vitória foi beneficiado na primeira rodada, quando empatou com o Avaí e o time catarinense teve um pênalti claro não marcado a seu favor.

O Palmeiras também pode reclamar das arbitragens. Teve quatro pênaltis não marcados a seu favor, assim como Chapecoense e Cruzeiro. Mas estes dois também foram beneficiados em vários outros lances. O Cruzeiro, ao lado do Corinthians, é o time com mais pênaltis ''perdoados'' pelas arbitragens: quatro.

O Corinthians foi vítimas dos bandeiras (gols mal anulados contra Coritiba e Flamengo), além de um cara a cara de Jô mal apontado contra o Cruzeiro. Mas os árbitros deixaram de marcar, contra o líder, pênaltis para o próprio Cruzeiro, Chapecoense, Vasco e Atlético-PR. Nenhum destes pênaltis não marcados contra o Corinthians, no entanto, teve, no critério do blog, influência no resultado final.

Por exemplo, o Atlético-PR perdia por 2 a 1 em Itaquera quando ocorreu o pênalti não apitado sobre Jonathan. Mesmo assim, o Furacão ainda foi buscar o empate por 2 a 2, ''anulando'' o erro do árbitro. Não é razoável dizer que o jogo acabaria 3 a 2 para o Atlético-PR, pela mesma razão que não considero que o Corinthians e Flamengo ficaria 2 a 0 no primeiro tempo, não fosse o erro do bandeira.

Outros erros que podem ser cruciais para um jogo de futebol, mas que são impossíveis de ''precificar'' são expulsões.

Jean, do Vasco, deveria ter sido expulso contra o Bahia. Yuri, do Santos, contra o Grêmio. Guilherme, do Atlético-PR, contra o Palmeiras. Por outro lado, Orejuela, do Fluminense, não deveria ter sido expulso contra o Sport. São erros difíceis de dimensionar, ainda que obviamente os jogos em questão mudassem de configuração.

Todos os 20 times aparecem na lista abaixo de prejudicados. Bahia, Santos e Fluminense são os únicos que aparecem na lista em apenas um lance capital, os restantes foram prejudicados em dois ou mais lances capitais. Assim como todos, exceto o Vasco, aparecem na lista de times beneficiados em lances capitais. Avaí e Sport, somente uma vez. Todos os outros foram ajudados duas vezes ou mais.

Dito tudo isso, este é o balanço do primeiro turno:

PREJUDICADOS

Pênaltis não marcados para:
5- Vitória
4- Chapecoense, Cruzeiro, Palmeiras
3- Atlético-PR, Flamengo
2- Grêmio, São Paulo, Vasco
1- Atlético-MG, Avaí, Bahia, Botafogo, Corinthians, Coritiba, Sport

Pênaltis mal marcados contra:
3- Botafogo
1- Atlético-PR, Chapecoense, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Ponte Preta, Santos, Vitória

Gols legítimos e mal anulados:
2- Atlético-MG, Corinthians, Vitória
1- Atlético-GO

Gols irregulares contra:
3- Botafogo
2- Sport
1- Atlético-GO, Avaí, Corinthians, Fluminense, Palmeiras, Ponte Preta, São Paulo

BENEFICIADOS

Pênaltis não marcados contra:
4- Corinthians, Cruzeiro
3- Chapecoense, Santos
2- Atlético-GO, Atlético-MG, Atlético-PR, Coritiba, Fluminense, Grêmio, Ponte Preta, São Paulo, Vitória
1- Avaí, Bahia, Botafogo, Palmeiras

Pênaltis mal marcados para:
2- Ponte Preta
1- Atlético-GO, Atlético-MG, Corinthians, Coritiba, Fluminense, Palmeiras, São Paulo, Sport, Vitória

Gols legítimos e mal anulados contra:
3- Coritiba
1- Atlético-PR, Chapecoense, Flamengo, São Paulo

Gols irregulares e que não deveriam ter sido validados:
2- Atlético-GO, Botafogo, São Paulo
1- Atlético-PR, Bahia, Flamengo, Grêmio, Santos, Vitória

***

QUANTOS PONTOS A MAIS OU A MENOS OS TIMES TÊM NA TABELA?

Santos +6
Atlético-PR +3
Atlético-GO +1
Chapecoense +1
Coritiba +1
Atlético-MG +1
São Paulo +1
Botafogo -2
Corinthians -2
Cruzeiro -2
Palmeiras -2
Vitória -4

Observações finais:

O autor deste blog não assiste a todos os jogos do campeonato. É claro que podem ter passado lances aqui e ali. E é lógico que podem haver interpretações diferentes para o mesmo lance. Espero que chovam comentários e, se algum lance lembrado ou observado tiver fugido do meu radar, eu farei a devida correção.

Me chama a atenção como, quando tratamos de penalidades máximas, os árbitros costumam errar mais por omissão do que excesso. No meu levantamento, 35 pênaltis deveriam ter sido marcados e não foram. Contra apenas 11 pênaltis mal marcados. É uma diferença grande. Foram 11 gols irregulares indevidamente validados (por impedimentos ou faltas não existentes) e 7 gols que não deveriam ter sido anulados. Tudo isso em 19 rodadas.