Blog do Júlio Gomes

Arquivo : Liverpool

Gabriel Jesus ajuda Guardiola a salvar a temporada
Comentários Comente

juliogomes

Ainda não é matemático. Mas, na prática, o Manchester City garantiu classificação para a próxima Liga dos Campeões da Europa nesta terça-feira, ao vencer o West Bromwich por 3 a 1. O primeiro gol do jogo foi anotado por Gabriel Jesus.
Nestes quatro meses com o City, Gabriel Jesus, com uma lesão no pé no meio do caminho, atuou em nove partidas e fez, com o desta quarta, seis gols. Foram seis vitórias e três empates do time de Guardiola nestes jogos. Dá para concluir que o brasileiro foi importante para salvar a temporada dos Citizens.
Afinal, o City não conseguiu disputar o título inglês, foi eliminado das oitavas da Champions pelo Monaco, na semifinal da Copa da Inglaterra perdeu para o Arsenal e, na Copa da Liga, perdeu para o United de Mourinho. É uma temporada sem título, mas com Champions. Seria trágico para Guardiola acabar seu primeiro ano fora do G4 – o clube esteve no clubinho nas últimas seis temporadas, desde que virou “novo rico”.
Na última rodada (todos os jogos serão às 11h de domingo), o City enfrenta o Watford, 16o colocado e amargando cinco derrotas seguidas. Se vencer, garante o terceiro lugar e a vaga direta na fase de grupos da Champions. Se empatar, será terceiro caso o Liverpool não vença o já rebaixado Middlesbrough por três gols ou mais. Caso contrário, será o quarto e terá de disputar a fase prévia.
A única combinação trágica que deixaria o City fora da Champions: derrota para o Watford, vitórias de Liverpool e Arsenal. E ainda o Arsenal teria de tirar a desvantagem de cinco gols que tem para o City no saldo de gols.
A situação da Premier League:
Já sabemos que Chelsea é campeão e, junto com o Tottenham, estará na fase de grupos da Champions League.
A terceira vaga direta e a quarta (para a fase prévia) estão entre:
 
Manchester City – 75 pontos (saldo +36aq)
Liverpool – 73 pontos (saldo +33)
Arsenal – 72 pontos (saldo +31)
 
Liverpool recebe o Middlesbrough. Penúltimo e já rebaixado. Se vencer, fica pelo menos em quarto. Se tropeçar…
 
Arsenal recebe o Everton, sétimo colocado. Se Liverpool tropeçar, basta ao Arsenal ganhar para ir à Champions. Ou, então ganhar, City perder e tirar esses cinco gols a menos de saldo.
 

Vitória do Arsenal e tropeço do Liverpool embolam briga por G4 na Premier
Comentários Comente

juliogomes

Os resultados do domingo embolaram ainda mais a acirrada disputa na Inglaterra por vagas na próxima Liga dos Campeões da Europa.

O Liverpool, um leão contra os grandes ao longo da temporada, voltou a ser um gatinho contra os pequenos. Com direito a pênalti perdido por Milner, o time empatou sem gols, em casa, com o Southampton. Mais tarde, o Arsenal, gatinho contra os grandes e leão contra os pequenos, finalmente venceu um clássico.

Fez 2 a 0 contra o time misto do Manchester United, quebrando uma série invicta de 25 jogos do rival no Campeonato Inglês. Foi também a primeira vez que Arsene Wenger ganhou de um time de José Mourinho na Premier – eram cinco derrotas e sete empates nas 12 partidas anteriores.

O Manchester United joga todas as fichas na tentativa de ser campeão da Europa League. Na quinta, recebe o Celta de Vigo e, após a vitória por 1 a 0 fora de casa na ida, é favorito para chegar à final. Se for campeão da Europa League, entrará na fase de grupos da próxima Champions mesmo que fique fora do G4 da Premier – neste caso, a Inglaterra teria cinco times na competição.

Situação da Premier League faltando duas semanas para o encerramento da competição:

1) Chelsea 81 pts
Duas vitórias em quatro jogos bastam para o título. Enfrenta Middlesbrough (c) nesta segunda e abre a rodada seguinte contra o West Brom (f), na sexta. Já tem tudo para ser campeão nesta semana;

2) Tottenham 77 pts
Mais uma ótima campanha, mas será mesmo vice-campeão. Tem mais três jogos a fazer e só pode chegar a 86 pontos;

A briga pelas últimas 2 vagas na Champions League:

3) Liverpool 70 pts (saldo +29)
Pega West Ham (f), Middlesbrough (c). Se vencer ambas, está na Champions, pelo menos em quarto lugar. Dependeria dos resultados do City para ficar em terceiro e entrar direto na fase de grupos. Possível que chegue ao jogo de domingo contra o West Ham atrás do City e só um ponto na frente do Arsenal na tabela. Muita pressão para cima do time, que não tem mais margem para tropeços;

4) Manchester City 69 pts (saldo +33)
Pega Leicester (c), West Brom (c), Watford (f). Se vencer as três, acaba em terceiro e vai direto para a Champions. Se vencer duas das três, pelo menos se garante em quarto lugar, já que tem saldo de gols bem superior ao do Arsenal. É quem está em melhor posição;

5) Manchester United 65 pts (saldo +24)
Pega Tottenham (f), Southampton (f), Crystal Palace (c). G4 é quase impossível, teria de vencer as três e torcer por tropeços de todos os outros rivais. Aposta as fichas em ganhar a Europa League e entrar, assim, como um quinto inglês na próxima Champions;

6) Arsenal 63 pts (saldo +24)
Pega Southampton (f), Stoke (f), Sunderland (c), Everton (c). Esperanças renovadas. Precisa vencer os quatro jogos restantes e torcer ou por um tropeço do Liverpool ou por dois tropeços do City. Difícil, mas não impossível. O primeiro passo é ganhar seu jogo atrasado, na quarta-feira.

Jogos dos ingleses nesta semana:

Segunda 16h: Chelsea x Middlesbrough
Quarta 15h45: Southampton x Arsenal
Quinta 16h: Manchester United x Celta (Europa League)
Sexta 16h: West Bromwich x Chelsea

Fim de semana que vem:

Sábado: 8h30 Manchester City x Leicester, 13h30 Stoke x Arsenal
Domingo: 10h15 West Ham x Liverpool, 12h30 Tottenham x Manchester United

 


Ligas europeias entram na reta final com mês recheado de clássicos
Comentários Comente

juliogomes

Passada a última pausa da temporada europeia para jogos de seleções, o “vírus Fifa” deixou os grandes clubes em paz desta vez. Chegamos à reta final dos campeonatos e o mês de abril reservas grandes clássicos em todas as ligas.

Já neste fim de semana, PSG e Monaco decidem a Copa da Liga da França (sábado 15h45). Benfica e Porto se enfrentam pela liderança (e, possivelmente, o título) em Portugal (sábado 16h30). Schalke 04 e Borussia Dortmund fazem o clássico do Vale do Ruhr, nesta que é considerada a maior rivalidade da Alemanha (sábado 10h30). Na Itália, em outro clássico de grande rivalidade, o Napoli recebe a Juventus no domingo (15h45). E a rodada da Premier League tem clássico de Liverpool no sábado (8h30) e o confronto entre os criticados Wenger e Guardiola no domingo (12h).

A Champions League tem quartas de final em 11/12 e 18/19 de abril, com Bayern-Real Madrid, Juventus-Barcelona, Dortmund-Monaco e Atlético de Madri-Leicester.

Veja o que ainda está em jogo nos principais países:

INGLATERRA

O Chelsea chega às 10 rodadas finais com uma enorme vantagem de pontos. São 69 contra 59 do Tottenham, 57 do Manchester City, 56 do Liverpool, 52 do Manchester United, 50 de Arsenal e Everton. O título vai ficar com os “blues”, mas a disputa pelas vagas na próxima Liga dos Campeões promete.

Já neste sábado, tem o “Merseyside Derby”, o clássico de Liverpool. Jogando em seu estádio, o Liverpool não perde para o Everton desde 1999. Depois disso, no entanto, o Liverpool, assim como o Tottenham, tem uma tabela mais tranquila.

Após a decepcionante eliminação nas oitavas de final da Champions, o Manchester City, de Guardiola, vai a Londres enfrentar o Arsenal, domingo, e o Chelsea, na próxima quarta. O Chelsea ainda joga o clássico contra o United, em Manchester, no dia 16. Aliás, o United, de Mourinho, que já ganhou a Copa da Liga Inglesa, ainda está vivo na Liga Europa, onde enfrenta o Anderlecht nas quartas de final e é o grande favorito ao título.

Principais jogos de abril:
1/4 Liverpool-Everton
2/4 Arsenal-Man City
5/4 Chelsea-Man City
16/4 Man United-Chelsea (Mou vs Conte)
22/4 Chelsea-Tottenham (semi Copa da Inglaterra)
23/4 Arsenal-Man City (semi Copa da Inglaterra)
27/4 Man City-Man United (Mou vs Pep)
30/4 Tottenham-Arsenal, Everton-Chelsea

ESPANHA

O Real Madrid tem o controle da Liga, pois soma dois pontos a mais que o Barcelona (65 a 63), tem ainda um jogo a menos e joga o clássico do returno no Santiago Bernabéu. Mas os dois gigantes têm duelos complicadíssimos na Liga dos Campeões logo antes do superclássico e o Campeonato Espanhol está mais equilibrado. Os gigantes já tropeçaram e ainda podem tropeçar mais vezes.

O Atlético de Madri, em quarto, com 55 pontos, está mais focado na Champions, mas adoraria fazer um grande dérbi contra o Real antes dos duelos contra o Leicester. O Sevilla, com 57, tentará se manter entre os quatro e não perder Jorge Sampaoli para a seleção argentina.

Principais jogos de abril:
5/4 Barcelona x Sevilla
8/4 Real Madrid-Atlético de Madri
(11/4 Juventus-Barça, 12/4 Bayern-Real, Atlético-Leicester na Champions)
(18/4 Real-Bayern e Leicester-Atlético, 19/4 Barça-Juventus na Champions)
23/4 Real Madrid-Barcelona
29 ou 30/4 Real Madrid-Valencia, Espanyol-Barcelona

ALEMANHA

O Bayern de Munique conquistará o inédito pentacampeonato, disso ninguém duvida. Tem folga na Bundesliga e poderá até poupar jogadores nos jogos próximos ao duelo contra o Real Madrid pela Liga dos Campeões – ainda que sejam jogos complicados. São 62 pontos na tabela, 13 a mais que o surpreendente RB Leipzig e 16 a mais que o Borussia Dortmund.

Depois de perder o clássico para o Borussia em Dortmund, em novembro, o Bayern engatou 12 vitórias e 2 empates no Alemão. Somando todas as competições, são 19 jogos e quatro meses sem perder. Em abril, o Bayern terá duas oportunidades de se vingar (ou não) de seu maior rival doméstico, que também está vivo na Champions.

Principais jogos de abril:
1/4 Schalke 04-Dortmund
8/4 Bayern-Dortmund
(11/4 Dortmund-Monaco, 12/4 Bayern-Real na Champions, 13/4 Ajax-Schalke na Europa League)
15/4 Bayer Leverkusen-Bayern
(18/4 Real-Bayern, 19/4 Monaco-Dortmund na Champions, 20/4 Schalke-Ajax na Europa League)
26/4 Bayern-Dortmund (semifinal da Copa da Alemanha, jogo único)

ITÁLIA

Assim como Chelsea e Bayern de Munique, a Juventus tem folga na liderança. Será o sexto Scudetto consecutivo, um feito inédito e histórico. Faltando nove rodadas para o final, a Juve lidera com 73 pontos, são 8 a mais que a Roma e 10 a mais que o Napoli. Foram 24 vitórias em 29 jogos até agora.

O mês de abril começa com dois duelos contra o Napoli, um pelo campeonato, outro pela Copa. São jogos de muita rivalidade e tensão entre times e torcidas. É o sul contra o norte, um duelo de muito simbolismo.

Jogando em seu estádio pelo Campeonato Italiano, a Juventus soma 31 vitórias consecutivas, juntando a atual com a temporada passada. Não empata desde um 1 a 1 com o Frosinone, em setembro de 2015. Não perde desde o primeiro jogo da temporada 15/16, 0-1 para a Udinese, em agosto de 2015. Somando todas as competições, são 46 jogos de invencibilidade no Juventus Stadium. Impressionante.

Lazio, com 57, Inter e Atalanta, com 55, e Milan, com 53 pontos, ainda tentam alcançar Roma (65) e Napoli (63) pelas vagas na próxima Champions.

Principais jogos de abril:
2/4 Napoli-Juventus
4/4 Roma-Lazio (semi Coppa Itália, Lazio fez 2-0 na ida)
5/4 Napoli-Juventus (semi Coppa Itália, Juve fez 3-1 na ida)
9/4 Lazio-Napoli
(11/4 Juventus-Barça na Champions)
15/4 Internazionale-Milan
(19/4 Barça-Juventus na Champions)
29 ou 30/4 Roma-Lazio, Internazionale-Napoli

FRANÇA

Depois da virada sofrida na Liga dos Campeões para o Barcelona, restam ao Paris Saint-Germain as competições domésticas. A parada está dura na Ligue 1. Em busca do pentacampeonato, o PSG, com 68 pontos, está 3 atrás do Monaco – dono do melhor ataque da Europa na temporada.

O Monaco, que superou o City de Guardiola e está nas quartas de final da Champions, fez 129 gols em 48 partidas oficias, média de 2,7. É um time super agradável de ver jogar e que vai vender caro o título francês, que não conquista desde o ano 2000.

Logo de cara, neste sábado, PSG e Monaco se enfrentam em Lyon pelo título da Copa da Liga da França. É a competição menos importante da temporada, mas que ganhou peso justamente pelo confronto direto entre as duas forças do país. Nos dois jogos entre eles pela Ligue 1, o Monaco fez 3 a 1 em casa e empatou por 1 a 1 em Paris (com gol nos acréscimos).

Eles também estão vivos na Copa da França e tem jogos relativamente fáceis no meio da semana que vem. Podem se enfrentar nas semifinais ou em uma eventual nova decisão.

O Nice, de Balotelli, ficou para trás na tabela e soma 64 pontos, sete a menos que o Monaco. Mas deve conseguir vaga na Champions, pois tem 14 a mais do que o Lyon, o quarto colocado. O Lyon ainda está vivo na Europa League e enfrenta nos dias 13 e 20 de abril o Besiktas, líder do Campeonato Turco, por uma vaga nas semifinais.

PORTUGAL

Também neste sábado, Benfica e Porto fazem o superclássico em Lisboa. O Benfica lidera o campeonato com 64 pontos, apenas 1 a mais que o Porto – ambos foram eliminados nas oitavas de final da Liga dos Campeões.

Depois do clássico, faltarão sete rodadas para o fim do campeonato. Como Benfica e Porto costumam ganhar praticamente todos os seus jogos em Portugal, o duelo direto é uma verdadeira decisão. Ainda em abril, no dia 22, o Benfica faz o dérbi de Lisboa contra o terceiro colocado, no estádio do Sporting.


Sevilla atropela, e Espanha confirma domínio inédito
Comentários Comente

juliogomes

O Liverpool é gigante. Mas é um gigante que desaprendeu a ganhar. O Sevilla é o melhor exemplo possível para os que acham que o futebol espanhol vive de dois times. Não é assim e nunca foi assim. O nível estratosférico de Barcelona e Real Madrid em anos recentes cegaram muitos para a qualidade enorme de outros times.

Os ingleses, tomara, têm um belo futuro com Klopp. Um baita técnico, uma baita torcida, uma baita história a ser resgatada, alguns bons jogadores. Mas, hoje, o Sevilla é um clube com cheiro de título. Aquele cheiro que os Reds perderam na megaglobalização vivida pelo futebol nos últimos anos.

O Liverpool teve a chance de ficar com a Europa League, seria a quarta (contando com os tempos de Copa da Uefa). Mas, com o 1 a 0 e o Sevilla contra as cordas, perdeu a chance de matar a decisão no primeiro tempo. Em finais, quando o adversário está entregue, as coisas não podem ficar para depois.

O “depois” foi o Sevilla empatando o jogo com menos de 30 segundos no segundo tempo. Jogada brilhante de Mariano e gol de Gameiro, o artilheiro.

A partir daí, foi um banho. O Liverpool não estava preparado para o empate tão rápido. E o Sevilla estava mais do que preparado para ganhar. Aprendeu a ganhar. E ganha. Fez 3 a 1 e poderia ter feito mais.

O Sevilla passou o carro por cima do Liverpool no segundo tempo.

gameiro-comemora-gol-do-sevilla-sobre-liverpool-apos-cruzamento-de-mariano-1463601550641_615x300

Muitos vão minimizar a Europa League, antes Copa da Uefa. É claro que é necessário relativizá-la. Não é forte como já foi.

Antes, até a mudança radical do futebol europeu, duas décadas e pouco atrás, a Copa dos Campeões era uma competição só para campeões, poucos times. A Copa da Uefa era até mais difícil de ganhar, pois tinha mais times fortes. Possivelmente em muitos anos dos anos 70 e 80 o campeão da Uefa era um time melhor do que propriamente o campeão europeu.

Não é mais assim. A Copa dos Campeões inchou, virou a Champions League e hoje é a maior competição de futebol do mundo. A Europa League é secundária. Mas sempre tem times bons. Seja porque esses times bons não conseguiram, no ano anterior, vaga na Champions, ou porque “caíram” da fase de grupos da Champions – foi o caso do Sevilla esse ano, ficando em terceiro em um grupo da morte que tinha Juventus e Manchester City na Champions.

A Europa League 2016/2017 já tem, por exemplo, Manchester United e Inter de Milão confirmados. Outras camisas pesadas estarão lá.

Como estiveram nas três seguidas conquistadas pelo Sevilla.

Real Madrid, entre 56 e 60, Ajax, de 71 a 73, e Bayern de Munique, de 74 a 76, eram os únicos times da história a vencerem três copas europeias seguidas. Todos na Copa dos Campeões. O Sevilla se junta a esse seleto grupo.

E não podemos esquecer que a Espanha conquista a terceira Europa League consecutiva com o Sevilla e já garantiu a terceira Champions League seguida com a final doméstica entre Real Madrid e Atlético de Madri. Isso nunca havia acontecido na Europa.

A Itália teve um domínio parecido quando o Milan ganhou a Copa dos Campeões em 89 e 90. Italianos ganharam a Copa da Uefa em 89 (Napoli), 90 (Juventus) e 91 (Inter). E a Sampdoria ainda levou a extinta Recopa em 1990.

Mas o histórico domínio italiano do final dos anos 80 foi superado agora pelos espanhóis.

Na Champions League, a Espanha leva 6 dos últimos 11 títulos. Na Europa League, são 7 títulos nos últimos 13 anos, com duas finais domésticas.

Nas últimas três temporadas, foram 45 confrontos europeus contra times de outros países. Os espanhóis levaram a melhor 42 vezes. “Só” 93% de aproveitamento.

Ufa. Haja número. Haja taça. E haja festa. A noite em Sevilla só acaba amanhã… à noite.


Os pontos fortes e fracos dos quatro claros favoritos à Champions
Comentários Comente

juliogomes

Bayern de Munique, Chelsea, Real Madrid ou Barcelona? Os quatro são os maiores candidatos a ficar com o título da Champions League. O melhor e mais importante torneio interclubes do planeta começa nesta terça-feira.

Bayern, Real e Barcelona somam, juntos, 19 Copas da Europa. O Chelsea não tem todo esse curriculum. Mas já ganhou o dele e está há 12 anos sempre lá, sempre forte. Virou tradição.

Após a fase de grupos, metade dos 32 times vai para o mata-mata. É quando a coisa começa de verdade e vemos o que de melhor existe no futebol mundial, superior até ao que vimos na Copa. Os grandes clubes do mundo são melhores que seleções nacionais. Como tudo se decide em jogos de ida e volta, até chegarmos à final, é lógico que o torneio pode muito bem ter um campeão que não seja um dos quatro citados.

Mas, antes de falarmos de quem pode surpreender, vamos aos favoritos.

BAYERN DE MUNIQUE
É o segundo ano de Guardiola. Com o jogo consolidado e uma diferença brutal de elenco para os outros times da Alemanha, o Bayern deverá novamente passear na Bundesliga. A Champions será o torneio pelo qual o treinador será julgado. A perda de Kroos não pode ser subestimada, mas há muitos outros jogadores que podem desempenhar bem no meio de campo. A chegada de Lewandowski, um camisa 9 de garantias, eleva o ataque do Bayern a um outro patamar. Negativo? Talvez a defesa muito adiantada possa permitir que times de contra ataque veloz causem muito dano, como foi com o Real na última semifinal. Segue sendo o melhor da Europa, o time mais completo de todos. É, afinal, uma espécie de Alemanha campeã do mundo com as adições de craques de diversos países. Na minha opinião, o favorito número um ao título.

CHELSEA
O segundo ano de José Mourinho é tradicionalmente seu melhor ano em qualquer clube. Desta vez, haverá pressão acima do normal. Afinal, ele construiu o espírito do Chelsea campeão, lá desde 2004, mas nunca chegou à final da Champions com os Blues. Foi Di Matteo quem levantou a taça em 2012. No Real Madrid, é verdade, trouxe o time de volta às fases decisivas. Mas foi só sair do clube para, finalmente, a Décima ser conquistada. A arte de montar elencos, de trabalhar no mercado, é dominada por Mourinho, que reforçou o Chelsea exatamente nas posições necessárias. Courtois já desbancou Cech no gol, Diego Costa foi um verdadeiro plug and play no ataque, Cesc Fábregas se reencontrou com o tipo de futebol que mais gosta de jogar. Tudo isso e ainda Hazard, Oscar, Willian… O miolo de zaga não é extraordinário, só para encontrar um defeito. Será que os sorteios de mata-mata nos permitirão ver Guardiola e Mourinho em uma final de Champions? É minha aposta.

REAL MADRID
O atual campeão, hoje, é menos consistente do que os times acima. Mas o que importa, já sabemos, é o que vai acontecer lá em março, abril e maio. O fato é que não será fácil para o Real Madrid encontrar a maneira ideal de jogar sem Xabi Alonso e Di María. Kroos e James Rodriguez são ótimos, mas não são substitutos naturais para os que saíram. Além disso, o Real tem um sério problema no gol, com Casillas pressionado, vaiado, esculhambado e já além de seu melhor momento. E, claro, há a maldição. Nunca um time ganhou duas Champions seguidas desde que o nome e a ampliação de times foram adotados, no início dos anos 90. Não se pode menosprezar o campeão, um time com Cristiano Ronaldo, Bale, craques e mais craques e mais craques. Mas Ancelotti terá de fazer milagre para encontrar a consistência da temporada passada nos jogos europeus.

BARCELONA
Técnico e goleiros novatos. Defesa pouco confiável. Xavi virou passado. São várias as razões que podem nos levar a não considerar o Barcelona um dos favoritos para o título da Champions League. Mas tem uma razão que desmonta todas as outras. Que time do mundo tem um trio de ataque com Messi, Neymar e Luiz Suárez? E tudo isso com Iniesta para “brincar”. Se a Champions fosse um torneio de pontos corridos, creio que seria impossível um título do Barcelona. Mas é mata-mata. E ninguém tem tanto arma para matar quanto o time catalão. Mesmo que as coisas não funcionem ao longo do ano, na hora H esses três caras podem tirar mais de um coelho de suas cartolas.

Mas fora esses quatro gigantões, quem mais poderia ser campeão europeu?

Os principais candidatos a fazê-lo seriam o Manchester City, o Paris Saint-Germain e o Atlético de Madri. Os primeiros são dois clubes tradicionais, mas com pouca história europeia. Seguiram os passos do Chelsea, foram comprados por milionários, montaram esquadrões e estão a ponto de entrar nesse pequeno grupo de favoritos ano após ano.

O City deu um certo azar com sorteios nos anos anteriores. Tem ótimo treinador, elenco e parece estar pronto para dar um passo a mais. É o time número cinco na minha lista de favoritos. O PSG tem a forte defesa da seleção brasileira, um atacante fantástico (Ibra e Cavani) mas, ao contrário do City, um treinador pouco brilhante e pouca competitividade em sua liga doméstica. Faltam também laterais e um meio-campista brilhante.

E o Atlético de Madri?

É dureza duvidar do Atlético. É, afinal, o campeão espanhol. E era o campeão europeu até os 48 minutos do segundo tempo da final de Lisboa. Mas não acredito que milagres se repitam. Não se perde um dos melhores goleiros e um dos melhores centroavantes do mundo impunemente. O Atlético será competitivo de novo, se reforçou bem, não venderá barato derrota para ninguém. E, acima de tudo, conquistou aquilo que poucos conquistam na vida: a crença em si mesmo. A ideia incutida de que pode derrotar qualquer um, em qualquer estádio, em qualquer situação.

Ficarei surpreso se for novamente à decisão. Pode acontecer? Pode. Mas é difícil.

Fora os citados, só outros quatro times podem surpreender: Arsenal, Liverpool, Juventus e Borussia Dortmund. Todos têm times bons, jogadores talentosos, mas estão abaixo dos sete times acima. Podem ganhar um ou até dois duelos de mata-mata contra rivais fortes. Mas chegar a uma semifinal, me parece, seria o teto.

Em outros tempos, não tantos anos atrás, mais times, talvez mais do que a metade dos participantes, teriam chances de levantar a taça. Em 2003, as semifinais foram compostas por quatro times que não eram citados, nem de perto, entre os favoritos. Os grandes europeus não eram tão grandes como agora. Hoje, eu coloco 11 na lista. Mas, na verdade, não acredito que o campeão não seja um dos quatro favoritos ou o Manchester City. A diferença está ficando preocupante. Menos mal que é mata-mata.

 


Champions sem ‘grupo da morte’ promete 8as inesquecíveis. E a sorte de Mou
Comentários Comente

juliogomes

O que é melhor? Aquele grupo com três, quatro clubes tradicionais se pegando? Ou uma fase de grupos mais morna, com os grandes passando sem grandes problemas e um cruzamento devastador nas oitavas de final? Pois o sorteio desta quinta-feira foi dos sonhos para os que gostam da segunda opção.

Nenhum “grupo da morte” foi formado. Sim, há chaves com muito equilíbrio, em que é difícil apontar claramente os dois que vão passar. Mas sempre envolvendo clubes que dificilmente lutarão pelo título europeu. Os grupos C e H se encaixam neste critério. De resto, os grandões, os favoritíssimos, estão sempre emparceirados. O que nos indica que ambos passarão. E, consequentemente, se enfrentarão entre eles nas oitavas de final. Já não vejo a hora de fevereiro chegar!

Atlético de Madri, a grande surpresa do campeonato passado, e Juventus, a grande decepção, estão emparelhados no grupo A. Real Madrid, o campeão atual, e Liverpool, no B. Arsenal e Borussia Dortmund estão no D – no ano passado, também caíram na mesma chave e fizeram do Napoli o melhor eliminado de todos os tempos. Bayern de Munique e Manchester City, de novo, estão no mesmo grupo, o E. Barcelona e Paris-Saint Germain, dois dos favoritaços, estão emparelhados no grupo F.

Jogar pela primeira colocação, para depois decidir em casa o duelo de oitavas de final, é a grande missão de todos eles. Mas já sabem como é. Legal ser primeiro. Mas não é drama algum ser segundo, não tira ninguém da briga, apenas pode dificultar o caminho.

Alguns argumentarão que o grupo E é o da morte, pois tem a boa equipe da Roma e o CSKA Moscou junto com Bayern de Munique e Manchester City. Eu, sinceramente, não vejo assim. Bayern e City são dois dos cinco melhores times da Europa, campeões das duas ligas mais fortes e ricas da Europa. Não acredito que a Roma, vice-campeã de um decadente futebol italiano, possa verdadeiramente ameaçar um dos dois. Seria uma enorme zebra. E, se é uma zebra, não dá para chamar de grupo da morte. A Roma está não um, mas alguns degraus abaixo dos dois favoritos.

Dos candidatos, quem terá a fase de grupos mais tranquila, na teoria, é o Chelsea. A velha sorte de José Mourinho não lhe deixa na mão. Ao contrário de outros, o Chelsea não deverá perder muito tempo e sangue para garantir a primeira colocação de um grupo com Schalke, Sporting e Maribor. Assim, poderá poupar jogadores nas rodadas finais e concentrar totalmente os esforços na Premier League.

O Chelsea, com Fábregas e Diego Costa, entre outros reforços, é um time bastante mais forte neste ano do que no ano passado. A soma disso com o tradicional sucesso de Mourinho em suas segundas temporadas faz do Chelsea, para mim, o favorito para ser campeão inglês. Sim, o City é muito forte. O United também, ainda que seja uma interrogação com Van Gaal. Liverpool e/ou Arsenal podem fazer uma temporada dos sonhos. Mas meu palpite é Chelsea, e o sorteio da Champions, por mais distantes que possam parecer os torneios, reforça a análise.

Chelsea, Real Madrid, Bayern, City e Barcelona formam o grupo de principais favoritos na Champions League. Mas é um torneio com os melhores do mundo, e o mata-mata permite que milagres aconteçam. Borussia Dortmund e Atlético de Madri perderam os últimos dois títulos europeus levando gols nos momentos derradeiros. Nada impede que vejamos uma história parecida.

Este blog aposta no Bayern de Munique para o título. E aqui vão as previsões dos grupos:

Grupo A:
A Juve tem técnico novo. No passado, era uma das favoritas, mas foi eliminada pelo Galatasaray. Precisa se preocupar mais com o Olympiacos do que roubar a ponta do grupo do ainda forte Atlético, apesar das saídas de Courtois, Filipe Luís e Diego Costa.

1- Atlético de Madri (ESP)
2- Juventus (ITA)
3- Olympiacos (GRE)
4- Malmo (SUE)

Grupo B:
Grupo tranquilo para Real Madrid e Liverpool, que já fizeram final europeia em 1981. O Real nunca fez um gol em três jogos de Champions contra o Liverpool. Vai quebrar o tabu desta vez.

1- Real Madrid (ESP)
2- Liverpool (ING)
3- Basel (SUI)
4- Ludogorets (BUL)

Grupo C:
O mais equilibrado de todos, mas nenhum dos classificados deverá lutar por semifinais lá na frente. Qualquer um dos quatro pode ganhar o grupo ou ficar sem ganhar um jogo sequer. Acredito que a distância seja um fator importante para o Zenit, e a competitividade da Bundesliga, para o Bayer. O Monaco precisa se reacostumar à Champions.

1- Bayer Leverkusen (ALE)
2- Zenit (RUS)
3- Monaco (FRA)
4- Benfica (POR)

Grupo D:
Aposta tranquila nos dois favoritos. Arsene Wenger costuma desdenhar da primeira posição na fase de grupos – e chorar as pitangas ao pegar uma pedreira nas oitavas de final.

1- Borussia Dortmund (ALE)
2- Arsenal (ING)
3- Galatasaray (TUR)
4- Anderlecht (BEL)

Grupo E:
Não é grupo da morte, a Roma não vai ameaçar nenhum dos dois grandões. A disputa pela primeira posição pode ser épica, mas Guardiola costuma guardar Pellegrini no bolso.

1- Bayern de Munique (ALE)
2- Manchester City (ING)
3- Roma (ITA)
4- CSKA Moscou (RUS)

Grupo F:
Os jogos entre Barcelona e PSG definirão a primeira colocação do grupo e teremos nova visita de Ibrahimovic ao Camp Nou. O PSG, dos zagueiros que o Barcelona queria ter, tem muito jogador para pouco técnico. Ainda falta algo, que talvez fique no banco, para ser um verdadeiro postulante ao troféu europeu.

1- Barcelona (ESP)
2- PSG (FRA)
3- Ajax (HOL)
4- Apoel (CHP)

Grupo G:
O grupo é uma baba para o Chelsea, e o Schalke 04 vai ser aquele que todos vão querer enfrentar nas oitavas de final.

1- Chelsea (ING)
2- Schalke 04 (ALE)
3- Sporting (POR)
4- Maribor (SLO)

Grupo H:
Assim como o grupo C, é bastante nivelado. O Shakhtar, que costuma dar trabalho na fase de grupos, terá de jogar longe de Donetsk. O Athletic, muito pelo contrário, é forte demais em Bilbao. Isso fará a diferença.

1- Athletic Bilbao (ESP)
2- Porto (POR)
3- Shakhtar Donetsk (UCR)
4- BATE Borisov (BLR)

 PS – Que esquisito ver um sorteio de Champions League sem Manchester United e Milan! Será que voltam ano que vem? O primeiro, sim. O segundo, duvido.

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>