Blog do Júlio Gomes

Bayern humilha e pode ter decretado o fim da era Wenger

juliogomes

É um dos debates mais quentes da Inglaterra. Arsène Wenger ficará ou não no Arsenal?

Os 5 a 1 sofridos em Munique nesta quarta-feira foram humilhantes. Mais do que o placar, apenas um time jogou. O Bayern teve 70% de posse de bola. Talvez (não tenho como pesquisar esse dado rapidamente) nunca um time de Wenger tenha tido tão pouco a bola.

O Bayern já dominava completamente quando o Arsenal achou o empate em um pênalti bobo. No segundo tempo, foi um atropelamento. Quatro gols, outros tantos perdidos, parecia profissional contra amador.

O francês chegou em 1996 e mudou a história do Arsenal. Transformou um clube perdedor, irrelevante no cenário europeu e que era conhecido por jogar ''feio'' em uma coisa completamente diferente. O Arsenal virou sinônimo de ''futebol bonito''. Em 20 anos, ganhou outro DNA.

Ganhou também títulos. Foram três Premier Leagues logo de cara, em 98, 2002 e 2004 (esta, de forma invicta). A Copa da Inglaterra em 98, 2002, 2003 e 2005. Final europeia em 2006 – aquele gol de Belletti, lembram?

Desde o segundo ano de Wenger no Arsenal, o clube se classificou para TODAS as Ligas dos Campeões da Europa – são 19 participações consecutivas. Isso permitiu à instituição fazer dinheiro, mesmo sem ter recebido aportes bizarros de russos ou árabes. Permitiu ao clube construir um estádio novo e maior, fazer a marca virar mundial.

O Arsenal passou da fase de grupos das últimas 14 Champions. Só que, com os 5 a 1 que levou do Bayern de Munique, é plausível imaginar que o Arsenal será eliminado pela sétima vez consecutiva nas oitavas de final. E lembra aqueles títulos todos que eu citei acima, nos 10 primeiros anos de Wenger? Eles minguaram. Foram duas Copas da Inglaterra, em 2014 e 2015. Dez anos seguidos chegando em terceiro ou quarto na Premier, sem chance de título.

O Arsenal perdeu a graça.

E Wenger, é bem possível, tenha que perder o emprego.